Por thiago.antunes

Rio - Para ninguém dizer que foi por falta de aviso, a campanha para impedir que as pessoas joguem lixo nas ruas durante a Copa do Mundo será destinada também aos turistas. Elaborados em histórias de quadrinhos, guias educativos em inglês e espanhol serão entregues em hotéis e pontos turísticos, solicitando que os visitantes mantenham a Cidade Maravilhosa limpa. Aqueles que forem flagrados sujando as ruas receberão multa que varia entre R$ 98 e R$ 3 mil, de acordo com o volume do lixo.

Os ingleses Alex Snow e John McCreadie, de 19 anos, não terão problemas com a lei. “Na Inglaterra, não há uma lei explícita, mas, se você joga lixo no chão, as pessoas mandam pegar. É algo socialmente construído”, contou Snow. “Faltam latas de lixo no Rio, mas é bom que a população fique atenta”, comentou McCreadie.

O francês Patrise Crequy concorda com a punição%2C seja para estrangeiros ou cariocasAgência O Dia

O francês Patrise Crequy, de 54 anos, também concorda com a punição e elogia a medida educativa. “Acho um absurdo que, com essas praias tão lindas, os brasileiros deixem lixo pela areia. Somos responsáveis pelo que consumimos. Além da multa, é necessário que haja essa campanha de prevenção para que os turistas e o próprio carioca se eduquem”, afirmou o francês.

O folheto foi desenvolvido pelo ilustrador João Burle. Após o Mundial da Fifa, a campanha deve continuar com a divulgação de forma permanente. Para que a infração seja registrada e os agentes possam aplicar a multa, estrangeiros de países do Mercosul precisarão mostra a identidade. Quem for de outros países, terá que apresentar o passaporte.

A espanhola Noelia Clemente já aprendeu como descartar o cigarro na lixeira da ComlurbAgência O Dia

Após dois dias úteis da aplicação da cobrança, o turista multado poderá entrar no site da Comlurb, para imprimir a guia e efetuar o pagamento no Banco do Brasil. Quem não pagar, poderá ter o nome inscrito no Serasa — caso de turistas oriundos de outros países no Mercosul, onde o órgão também atua. Os demais estrangeiros vão receber a multa no embarque aéreo, já que a Prefeitura do Rio está finalizando um convênio com a Polícia Federal para incluir a taxa ao passaporte.

Para a espanhola Noelia Clemente, de 33 anos, a multa para quem joga lixo no chão é uma boa iniciativa, mas ela aponta outra preocupação para o poder público do Rio. “Seria importante criar uma lei ou um programa para dar moradias à população de rua”, sugeriu. A iniciativa faz parte da campanha Lixo Zero, promovida pela Comlurb e a Guarda Municipal desde 2013.

Comlurb está distribuindo guias em vários idiomas%2C como o espanholReprodução

Metrô promete conexão gratuita com a internet durante o Mundial

Uma novidade do Metrô Rio promete ajudar a vida dos cariocas e turistas que quiserem permanecer conectados durante a Copa do Mundo. As estações Uruguai, Cinelândia, Carioca, Uruguaiana, Presidente Vargas, Maracanã e Central terão conexão gratuita sem fio com a internet, segundo a concessionária. O tempo de conexão será de 15 minutos: mas ela poderá ser feita duas vezes no mesmo dia. Todas as demais estações do metrô serão equipadas com a facilidade até o final do ano, garante a empresa.

Além da internet sem fio, a concessionária que administra o metrô oferece o aplicativo para celulares chamado Metrô Fácil. Nele, os usuários podem consultar um mapa com todas as informações sobre as linhas, integração, metrô de superfície e um guia de como chegar aos principais pontos turísticos da cidade por meio do sistema metroviário.

Para atender aos turistas que virão para o Mundial, a empresa também vai distribuir folhetos em seis idiomas (português, inglês, espanhol, francês, alemão e russo) com toda a rede de serviços do sistema. Na área da segurança, os 516 profissionais da concessionária receberão o reforço de 900 câmeras e de policiais militares em todas as estações.

Time de 11 cães farejadores vai reforçar a segurança

Um time de 11 cachorros passou a reforçar o Batalhão de Ações com Cães, que agora conta com 65 animais. Eles vão atuar no esquema de segurança da Copa do Mundo. Ontem, os 11 novos integrantes da equipe tiveram sua formatura no curso de Condutores de Cães Farejadores de Armas e Drogas, na sede da unidade, em Olaria.

Cães tiveram festa de formaturaDivulgação

A capacitação incluiu as disciplinas Técnica de Busca em Bagagens e Encomendas em Edificações e Áreas Abertas, Vistoria e Busca em Veículos, Conhecimento de Condicionamento de Cães e Psicologia Comportamental. A escalação desta equipe conta com cães das raças Pastor Alemão, Pastor Belga de Malinois, Pastor Holandês, Rottweiler e Labrador. Os cachorros são divididos em grupos: intervenção tática, combate a distúrbios civis, resgate de reféns e patrulhamento.

Para se acostumarem com ambientes que recebem grande fluxo de pessoas, os animais participaram de treinamentos na Rodoviária Novo Rio e na Estação das Barcas. “O cão é um instrumento muito importante na busca de armas e drogas, porque tem um faro 250 vezes mais apurado do que o ser humano. Eles vão atuar antes, durante e depois das partidas para evitar transtornos”, ressaltou o comandante do batalhão, tenente-coronel Júlio César Mafia Martins.

A turma de alunos caninos é formada por filhotes de até um ano de idade. Entre os mais novos, com apenas três meses, estão os descendentes do grande farejador Boss — um Labrador marrom que participou de 227 acionamentos, apreendendo 68 armas e quase três toneladas de drogas.

Com oito anos de idade e serviço, ele se aposentou, também em solenidade ocorrida ontem, assim como o Labrador Retriever Scott e as cadelas Brita, da raça Pastor Malinois, e Tati, uma Labradora. Todos com o mesmo tempo de trabalho na corporação, mas com menos atuação que Boss. Só no ano passado, os animais do batalhão encontraram 4,5 toneladas de drogas.

Você pode gostar