Por thiago.antunes

Rio - Com a Copa do Mundo, uma nova oportunidade para o turismo está desembarcando no Rio. Segundo a administração do Porto do Rio, a temporada de transatlânticos é de outubro a abril, meses mais quentes, de primavera e verão. Mas a Copa já está mudando este jogo. Ontem, o Pier Mauá recebeu o maior navio, em capacidade de passageiros, de sua história.

O MSC Divina trouxe para a cidade 4.245 passageiros, além de 1.500 tripulantes. O Divina veio de Miami e fez uma parada em Salvador, antes de atracar no Rio de Janeiro. Ele ainda irá para Santos, mas retornará mais duas vezes para o Rio. Segundo o gerente de operações do Pier Mauá, Alexandre Gomes, é a primeira vez que o roteiro do Divina, que traz turistas de Miami, inclui a cidade no trajeto. “Vamos tentar manter a rota para esse período, em que não há uma grande movimentação de turistas no Rio vindo de navios”, comentou.

O MSC Divina é o maior transatlântico%2C em capacidade de passageiros%2C que já aportou no Rio de Janeiro. Ele alterou sua rota para trazer turistas para a cidade na CopaCarlos Eduardo Cardoso / Agência O Dia

O objetivo da administração do Porto é aproveitar o movimento das férias durante o verão e a primavera do Hemisfério Norte. Segundo uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Turismo Receptivo Internacional, cada turista que desembarca no Rio gasta aproximadamente 300 dólares por dia. Durante o Mundial, além do Divina, o transatlântico Monarch virá do Caribe e passará oito dias na cidade. Ele atracará no dia 14 com 2.384 passageiros. Iates particulares também irão aportar, entre eles o quinto maior do mundo, que é particular, chegará na cidade no dia 17 e ficará até o final da Copa.

Nesta sexta-feira, para receber o Divina, a Receita Federal realizou uma operação na Alfândega do Porto. Os agentes usaram cães farejadores, três scanners móveis de bagagem e uma lancha. A operação era para checar se os turistas brasileiros, que retornavam para o país, traziam mercadorias acima do valor permitido de 500 dólares.

Mil e cem passageiros do Divina tiveram o Rio como destino final. Suas bagagens foram inspecionadas. Segundo o inspetor-chefe da Receita no Porto do Rio, Ricardo Lomba, essa foi a maior operação montada pela Receita por conta da quantidade de passageiros. “Durante a Copa outros navios chegarão e essa ação se repetirá”, explicou.

Ação da Polícia Federal e da Receita vistoriou bagagens dos passageirosSeverino Silva / Agência O Dia

Segundo Lomba, no Porto há dois scanners fixos, mas o uso dos móveis garantiu celeridade à operação. “O uso de mais scanners nos ajudou a fazer um pré-seleção e, assim, não precisamos verificar pessoalmente todas as bagagens”, disse o inspetor-chefe.

Para a Secretaria de Segurança, manifestações estão controladas

O subsecretário de Segurança Pública responsável por grandes eventos, Roberto Alzir, disse ontem que as manifestações “estão controladas”. O delegado afirmou que não espera grandes protestos durante o Mundial, apesar do esquema de segurança do evento ter organizado diversos protocolos para lidar com eles: “As manifestações preocupam, mas estão controladas. Nossas análises não apontam que haverá aquele cenário antagônico do ano passado. As manifestações perderam a capacidade de mobilizar multidões devido à violência”.

O esquema de segurança das seleções que estão hospedadas no Rio inclui grande aparato e pelo menos quatro rotas alternativas de trânsito, para evitar problemas. Cerca de 50 policiais — incluindo batedores, em viaturas e helicópteros — fazem a escolta direta das delegações, fora o aparato no entorno do perímetro por onde os jogadores vão se deslocar para os eventos oficiais. Foi assim ontem na chegada dos times da Itália e Holanda.

Vistoria fo feita com equipamentos modernosSeverino Silva / Agência O Dia

As informações foram divulgadas ontem durante entrevista coletiva da cúpula da Segurança do Rio na Copa. Segundo o delegado federal Alexandre Bichara, cada centímetro do deslocamento dos jogadores é monitorado por câmeras de helicópteros e viaturas. Os aeroportos Santos Dumont e Galeão receberam reforço das Forças Armadas e da Polícia Federal.

Ocupação de hotéis cinco estrelas é de quase 100%

No período da Copa, em média 82,5% das vagas em hotéis da cidade estarão ocupadas. O cálculo é da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio de Janeiro (ABIH-RJ) e indica ainda que os cinco estrelas estão entre os mais procurados, com ocupação de 97,08%. A alta procura dos luxuosos se deve à demanda para acomodar delegações, juízes, e patrocinadores. Os de quatro e três estrelas tem média de 81,69% de ocupação.

De acordo com o presidente da ABIH-RJ, Alfredo Lopes, esses números são apenas uma prévia, podendo crescer durante a competição. “Nossa expectativa é fechar acima dos 90% (de ocupação)”, comentou Lopes. E os hoteleiros contam com o desempenho do Brasil para obter números ainda mais positivos. “A definição dos próximos jogos com certeza irá influenciar a vinda dos turistas. Um Brasil na final é o placar mais desejado, tanto para a hotelaria, quando para a torcida brasileira”, explicou o presidente da ABIH-RJ.

Seleção da Holanda adota o Rio

Antes de a seleção holandesa pisar em solo brasileiro, o estudante do Ensino Médio Pedro Henrique Correa, de 16 anos, não hesitou em sair de sua cidade natal, em Curitiba, para se aventurar em uma viagem ao Rio. Tudo isso por amor à ‘Laranja Mecânica’, que já está hospedada na Cidade Maravilhosa desde a manhã desta sexta-feira

Poucas horas após chegarem ao hotel, os jogadores da Holanda foram às areias de Ipanema para iniciar um treinamento, que terminou no campo do Flamengo, na Gávea, escolhido pela federação holandesa para sediar os treinos da equipe. Nesse meio tempo, Pedro esperou por cinco horas para ganhar um autógrafo do atacante Dirk Kuyt e tirar uma foto com o técnico Louis Van Gaall: “Estava lotado, então Enrolei a caneta na blusa que tinha e joguei na direção deles”.

Quem também conseguiu uma foto com Gall, foi o universitário Vitor Pires Lima, 21 anos. “Gosto e acompanho o futebol europeu”, disse. A seleção italiana, também, desembarcou no Rio de ontem, mas preferiu se isolar em uma praia particular em Mangaratiba.

Você pode gostar