Salgadinho explode e queima dona de casa em Padre Miguel

Renata Jerônimo Ribeiro teve o rosto, os braços e o tórax atingidos. Caso foi registrado na 33ª DP (Realengo)

Por O Dia

Rio - O rosto liso da manicure Renata Jerônimo Ribeiro, de 35 anos, deu lugar a queimaduras e cicatrizes, após um salgadinho que ela afirma ter comprado numa fábrica em Bangu e que fritava em sua casa, em Padre Miguel, explodir e atingi-la com óleo quente. Ela ainda sofreu ferimentos nos braços e tórax. O caso aconteceu no último dia 9. Renata prestou queixa ontem na 33ª DP (Realengo) e garantiu que vai processar a fábrica. Nenhum representante da empresa foi encontrado para comentar o caso.

A dona de casa Renata Jerônimo Ribeiro sofreu queimaduras após tentar fritar um salgado Reprodução

“Foi um fato inexplicável. Comprei o cento do bolinho de queijo com alho e durante a fritura aconteceu a explosão. O salgado queimou todo meu rosto e com a força, grudou no teto da cozinha. Fui vítima de um bolinho”, denuncia a manicure, afirmando que após ser socorrida na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Bangu, procurou o dono da fábrica, que de acordo com ela, quis indenizá-la com R$ 300.

“Minha boca ainda está toda machucada. Estou tomando antibióticos e usando uma pomada de R$ 40 que dura uma semana. Ficarei com cicatrizes. Quem vai pagar meu tratamento?”, indagou Renata, que por pouco não teve queimaduras nos olhos durante a explosão do salgado.

“Fritei o salgado com todos os cuidados. O problema foi com o bolinho. Sempre comprei lá e nunca houve qualquer acidente”, acrescentou a manicure.

Especialista no assunto, a culinarista e técnica em alimentos Joseneide Soares, 54, disse que a dona de casa precisa ter alguns cuidados na hora de fritar um salgado ou aperitivo.

“O óleo deve estar quente e o salgado precisa ser frito em temperatura ambiente e não congelado, pois ele pode abrir e o contato entre gordura quente e recheio pode causa uma explosão”, explicou Joseneide, especializada em contaminação alimentar e formada em panificação pelo Sesi.

Últimas de Rio De Janeiro