Chef pé-frio não assiste aos jogos

Ele faz delícias para os jogadores, mas fica longe da TV durante as partidas

Por O Dia

Rio - A Seleção de Portugal terá um torcedor a menos hoje em sua estreia contra a Alemanha, na Arena Fonte Nova, em Salvador. E não se trata de um aficionado comum não, como os fanáticos são chamados nas terras de Além-Mar. O ausente será simplesmente o chef de cozinha da delegação, Hélio Loureiro.

Hélio Loureiro repetirá estratégia de não ver os jogos de PortugalDivulgação

O “responsável gastronômico” da seleção tem receio de que seu pé-frio possa atrapalhar o desempenho do time em campo. A fama nasceu em 2004. Naquele ano, o país foi sede da primeira Eurocopa disputada em seu território.

O time, comandado por Luiz Felipe Scolari, contava com dois dos três maiores jogadores portugueses da sua história: Luís Figo, três anos antes eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa; e um promissor, rápido e marrento atacante que já começava a dar o que falar, Cristiano Ronaldo. O terceiro foi o gigante Eusébio, que, entre outros feitos, foi o carrasco do Brasil na Copa da Inglaterra, em 1966.

Hélio Loureiro esteve em apenas duas partidas da competição. Por coincidência foram as derrotas para a Grécia. A mais dramática na final por 1 a 0, o que soterrou o sonho de milhões de lusos de ver sua seleção conquistar um torneio internacional. “Começaram a me chamar de pé-frio. Nunca liguei para isso. Até o jogo contra a Suécia, na repescagem da última eliminatória”.

Loureiro admite ter ficado com receio de ser o culpado por um eventual fracasso do time em campo. Saiu do hotel em Estocolmo e foi direto para o aeroporto. Como a estratégia deu certo, com a providencial ajuda de Cristiano Ronaldo, que marcou os gols que classificaram Portugal para a Copa, ele pretende repeti-la no Brasil.

“Eu não vou ver jogo nenhum. Não vai ser pelo meu pé frio que a nossa seleção vai perder. Mas eles têm que ganhar sempre!”, disse o chef.

Últimas de Rio De Janeiro