'Perdi o meu menino e nada vai mudar isso', diz pai de vítima de tiroteio

Lucas Canuto, 13 anos, foi baleado durante confronto entre PMs e traficantes na Cidade de Deus

Por O Dia

Paulo Pereira de Farias%2C pai do menino Lucas Canuto%2C morto após ser baleado num confronto entre PMs e traficantes na Cidade de Deus%2C esteve no IML para liberar o corpoCacau Fernandes / Agência O Dia

Rio - Parentes estiveram na manhã desta segunda-feira no Instituto Médico Legal para retirar o corpo do menino Lucas Canuto, de 13 anos, morto no domingo durante um confronto entre policiais militares e traficantes na Cidade de Deus. O adolescente levava o irmão caçula na garupa da bicicleta quando foi baleado no peito. Lucas será sepultado nesta terça, às 10 horas, no Cemitério de Jacarepaguá, no Pechincha. Inconsolável, o pai de Lucas lamentava a morte do menino. "Não sei de onde saiu a bala que matou meu filho, só sei que perdi o meu menino e nada vai mudar isso", disse o auxiliar de serviços gerais Paulo Pereira de Farias, de 38 anos.

LEIA TAMBÉM

Bala perdida mata menino na Cidade de Deus

Testemunhas e policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Cidade de Deus foram ouvidos, e as armas dos PMs, apreendidas. A Divisão de Homicídios aguarda os laudos da perícia e informou que os devidos processos investigativos já estão sendo tomados.

Segundo o pai, Lucas Canuto sonhava ser jogador de futebol e tinha acabado de conseguir vaga em um time que disputará a Copa Zico, torneio amador que será realizado após a Copa do Mundo. Meio de campo, o jovem dizia que ainda iria participar da principal competição do futebol. Ele cursava o 8º ano do Ensino Fundamental.

Baleado na localidade conhecida como Caratê

A troca de tiros ocorreu no início da tarde de domingo quando os policiais faziam patrulhamento de rotina na localidade Caratê. Ao passarem pela Reta dos Barracos, os policiais militares foram recebidos a tiros pelos bandidos. Eles revidaram e houve um intenso tiroteio.

Lucas Canuto foi socorrido pelos policiais e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Cidade de Deus, sendo posteriormente transferido para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. Ele não resistiu e morreu na mesa de cirurgia.

O garoto Lucas Canuto%2C de 13 anos%2C será sepultado nesta terça-feira%2C às 10 horas%2C no Cemitério do PechinchaAgência O Dia

No início da noite, amigos começaram a deixar mensagens no Facebook de Lucas, lamentando a tragédia. “Um sonho de uma criança de ser tornar um jogador foi interrompido pela injustiça dos homens desse mundo sujo. Hoje estamos sem ele. Lucas Canuto, nesse momento é muito difícil para nossa família a perda de um inocente sonhador. Apesar da sua ida, você estará sempre em nossos corações”, dizia uma delas.

Em outra postagem, um amigo questiona a violência. “Mais uma criança é vítima de tiroteio na Cidade de Deus, em plena Copa do Mundo. Cadê a segurança, presidenta Dilma?”, questionava.

Últimas de Rio De Janeiro