PMs prendem europeus vendendo ingressos para a Copa no Maracanã

Três ingleses e um francês foram levados para a 18ª DP. Eles estavam com 14 entradas e grande quantidade de dinheiro

Por O Dia

Rio - Policiais militares prenderam na tarde de domingo um francês e três ingleses que tentavam vender ingressos para o jogo entre Argentina x Bósnia e Herzegovina, válido pelo Grupo F da Copa do Mundo, nos arredores do Maracanã. Com os europeus foram encontrados US$ 4.300 (cerca de R$ 9.606) e US$ 3.403 (cerca de R$ 7.602), respectivamente, além de 14 ingressos. O caso foi registrado na 18ªDP (Praça da Bandeira).

Argentinos pulam o muro do Maracanã

Os argentinos tomaram conta das ruas do Rio de Janeiro para assistirem a estreia da sua seleção na Copa do Mundo, neste domingo. No Maracanã, eles ocuparam grande parte da arquibancada com seus tradicionais cânticos. E cerca de 20 torcedores não precisaram do ingresso para apoiarem a equipe do craque Lionel Messi na vitória por 2 a 1 sobre a Bósnia e Herzegovina, pois eles aproveitaram uma falha da segurança e pularam o muro do estádio.

De acordo com o COL (Comitê Organizador Local) nove torcedores foram encaminhados para a Polícia Civil, sendo oito autuados e apenas um, que apresentou o ingresso para a partida, foi liberado.

'Hermanos' pintam o Rio de azul e branco

Uma maré argentina tomou as ruas do Rio no fim de semana. Na lista de apetrechos, perucas e bandeiras em azul e branco davam o tom da festa que consagraria, horas depois, a primeira vitória de Messi e companhia na Copa. Conterrâneo dos hermanos, o Papa Francisco foi tão homenageado quanto o eterno ídolo Maradona.

Em Copacabana, a Praça Cardeal Arcoverde e a Rua Rodolfo Dantas ficaram lotadas. Canções em espanhol tomaram a estação do metrô. “Vamos ganhar, temos o Papa ao nosso lado”, bradava um grupo de hermanos.

Bancos são depredados após protesto contra a Copa do Mundo

Na orla, uma multidão invadiu as pistas da Avenida Atlântica, perto do Copacabana Palace. Dois carros do Batalhão de Choque da PM foram acionados para acompanhar a movimentação. No sábado, a PM usou gás de pimenta para dispersar argentinos que fecharam a via.

Mas neste domingo, em vez de transtornos, o que chamava a atenção era a disposição de cinco hermanos. O grupo tem se demonstrado incansável em agitar um bandeirão da Argentina praticamente 24 horas por dia. Eles ficam em cima de um trailler, com banheiro e quarto.

O recorde de público do novo Maracanã (74.738 torcedores) atingido no domingo — com presença massiva de argentinos — mostrou o poder e a paixão de nossos vizinhos. Para muitos que não conseguiram ingresso, o bar foi a alternativa para assistir ao jogo e comemorar.

Durante a partida, estabelecimentos da Tijuca, na Zona Norte, ficaram repletos de argentinos. O bar Cantinho do Maracanã recebeu mais de 150 seguidores de Messi. A cada lance perigoso, uma explosão de gritos ecoava. “Desde que ganhamos em 1986, quando eu era criança, uso meu nariz de palhaço em todo jogo da seleção. Não poderia esquecer de trazê-lo para o Brasil”, disse o cozinheiro Luiz Angel, 39.

Últimas de Rio De Janeiro