Presidente da Alerj já havia denunciado ameaça de morte

Em 2010, Paulo Melo afirmou que uma pessoa que 'circulava no meio policial' tinha lhe passado esta informação. Deputado passa por nova cirurgia no Hospital Copa D'Or

Por O Dia

Rio - O deputado estadual Paulo Melo (PMDB), que na noite de sábado teve seu sítio em Rio Bonito invadido por dois bandidos, recebeu, há quase quatro anos, uma denúncia de que seria assassinado. A informação foi divulgada por ele, no dia 29 de junho de 2010, no plenário da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Segundo a denúncia, o presidente do legislativo estadual seria morto até o dia 20 de julho do mesmo ano.

Sangue no interior do sítio do deputado Paulo MeloDivulgação

Na época, o parlamentar, que prestou depoimento na Delegacia de Homicídios da Barra da Tijuca, disse que a informação foi transmitida por uma pessoa cuja identidade ele preferia não divulgar, mas que, segundo ele, era de extrema confiança e circulava no meio policial.

De acordo com a fonte, quatro pessoas teriam sido contratadas para praticar o atentado, que ocorreria na Estrada Latino Melo, no município de Saquarema. A fonte informou, ainda, que a quadrilha atuava no bairro de Campo Grande e que um dos possíveis criminosos teria sido visto, na época, na Assembléia Legislativa. Paulo Melo acreditava que o crime teria motivação política.

Pezão e Cabral encontram com deputado no Heliponto da Lagoa

Na manhã deste domingo, Paulo Melo chegou de helicóptero ao Rio de Janeiro, onde foi recebido pelo governador Luiz Fernando Pezão e Sérgio Cabral no Heliponto da Lagoa, na Zona Sul. De lá, ele seguiu para o Hospital Copa D'Or, em Copacabana, onde passa por uma nova intervenção cirúrgica, pois o deputado teve uma fratura exposta tentando se proteger do tiroteio em seu sítio. Durante a madrugada, Melo já havia passado por uma cirurgia ortopédica no Hospital Darcy Vargas, em Rio Bonito.

Projéteis encontrados no interior do sítio do presidente da AlerjDivulgação

Bandidos invadiram, por volta das 23h30 de sábado, a propriedade de Paulo Melo, na zona rural da cidade Região Metropolitana do Rio. Dois policiais militares, que são seguranças do deputado, foram baleados na ação. De acordo com a esposa de Melo, a prefeita de Saquarema, Franciane Motta, que também estava no interior do sítio, o deputado quebrou o dedão do pé ao tentar se proteger dentro de casa.

"Escutamos barulho e pensamos que fossem fogos, morteiros, quando percebemos que, na verdade, se tratava de um tiroteio. Tentamos nos esconder dentro de casa e na correria o Paulo acabou sofrendo uma queda e fraturou o dedo do pé", contou a prefeita.

A informação contradiz o que anteriormente policiais do 35º BPM (Itaboraí) afirmaram. Segundo eles, o parlamentar teria quebrado o pé ao fugir por uma mata perto da propriedade. Investigadores não descartam a hipótese de atentado.

Ainda segundo as informações iniciais, os sargentos Marcelo Ferreira Neves e Edgar Antunes Leite levaram um tiro na perna e nas nádegas, respectivamente. Os três foram submetidos à cirurgia, ainda na madrugada, no Hospital Darcy Vargas, no Centro de Rio Bonito. Eles foram transferidos para o Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio, na Zona Norte do Rio, onde, de acordo com a assessoria da PM, eles estão em observação, com quadro estável.

O crime no distrito de Lavras ocorreu a cerca de 300 metros de onde René Senna, que ficou conhecido como milionário da Mega-Sena, foi morto em janeiro de 2007. Paulo Melo tinha acabado de disputar uma partida de futebol com amigos no próprio sítio. Quando ele ouviu os tiros, teria corrido para fugir dos disparos.

A prefeita de Saquarema e esposa do deputado Paulo Melo, Franciane Motta, estava no sítio com o parlamentar, quando a propriedade foi invadida por criminososEstefan Radovicz / Agência O Dia

Polícia vai analisar as imagens do circuito interno de TV

Ainda não há informação sobre os bandidos. Policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) foram acionados para Rio Bonito. Agentes de várias delegacias da região já estão na cidade. Policiais da 119ª DP (Rio Bonito) realizaram perícia no sítio do parlamentar no sábado à noite e três funcionários da propriedade já prestaram depoimento.

De acordo com a Polícia Civil, as imagens do circuito interno do local também serão analisadas. Os investigadores continuam realizando diligências em busca dos criminosos e aguardam a alta médica do deputado estadual Paulo Melo e dos policiais militares para que eles sejam ouvidos. Na noite deste sábado, agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) auxiliaram nas buscas aos bandidos. Até o momento, nenhuma linha de investigação foi descartada e o caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios.

Últimas de Rio De Janeiro