Por leonardo.rocha

Rio - Mais dois torcedores chilenos que invadiram o centro de imprensa do estádio do Maracanã, na Zona Norte do Rio, deixaram o Brasil nesta segunda-feira. De acordo com informações da Polícia Federal (PF), o número de estrangeiros que deixaram o país já chega a 58.

Ainda segundo a PF, assim que o restante dos estrangeiros forem localizados, todas as medidas legais para deportação serão adotadas. Os que não deixaram o país no prazo estipulado de 72 horas, que terminou às 0h deste domingo, terão ainda de pagar uma multa.

Confusão envolvendo chilenos aconteceu na cabine de imprensa do MaracanãRafael Paiva / Agência O Dia


A Invasão

A invasão ocorreu antes do início do jogo entre o Chile e a Espanha na última quarta-feira. Os envolvidos foram detidos e encaminhados para a Cidade da Polícia, no Jacaré, zona norte do Rio. Na ocasião, foram presos 85 torcedores.

Em um ato de vandalismo, os chilenos que não tinham ingressos para a partida invadiram o Centro de Mídia e quebraram divisórias do local. Já no gramado, parte dos torcedores foi detida por seguranças da Federação Internacional de Futebol (Fifa).

Fora da Copa

Os 85 chilenos notificados a deixarem o país não poderão retornar ao Brasil durante o período da Copa. Uma equipe da Polícia Federal esteve neste domingo na Cidade da Polícia, onde formalizou a diminuição do prazo de estada dos estrangeiros para 72 horas.

Entre os chilenos havia um menor de idade que, assim como seu pai, também foi notificado. Os dados colhidos foram lançados no sistema de imigração da PF ,constando o motivo da ação, o que possibilitará a inadmissão em território nacional durante a Copa do Mundo, caso algum deles tente retornar ao Brasil.

Você pode gostar