Maré americana invade a arena Fifa Fan Fest durante jogo dos EUA e Portugal

Copa do Mundo vira a 'terra do Tio Sam'. Empate mantém esperança de portugueses

Por O Dia

Rio - As areias da Praia de Copacabana se tornaram praticamente uma embaixada norte-americana ontem à noite, na Fifa Fan Fest, durante o jogo entre Estados Unidos e Portugal. Os americanos eram a maioria e, apesar de terem feito uma grande festa, como se estivessem em casa, saíram com um sorriso amarelo. Sua seleção chegava a vencer por 2 x 1, placar que eliminaria os rivais portugueses da Copa do Mundo, mas acabou cedendo o empate no último minuto do jogo.

O estudante norte-americano Conor Furey, de 23 anos, contou que muitos brasileiros têm se surpreendido com a forma apaixonada como os americanos estão torcendo pelo “soccer”, como eles chamam o futebol. Conor explicou que o esporte está se tornando muito popular nos Estados Unidos.

O estudante Conor%2C com mais três amigos%3A popularização do 'soccer' trouxe mais americanos ao BrasilAlexandre Brum / Agência O Dia

O estudante veio da capital americana, Washington, com mais três amigos e acredita que o time tem chance de avançar no campeonato. “Acho que nossa seleção pode ir longe. Mas, mesmo que não chegue à final, já valeu a pena. Estamos aqui pela festa também.”

De acordo com a Fifa, os americanos, logo depois dos brasileiros, foram os que mais compraram ingressos para as partidas do Mundial. Nas areias de Copacabana, eles ganharam um reforço: brasileiros fãs do futebol americano, que está se tornando popular também por aqui.

O empresário português Beto Almeida, de 36 anos, assistiu ao jogo com a esposa e os dois filhos. Com o empate, as chances de classificação ficam pequenas, mas ele ainda acredita que possa acontecer, apesar de achar que faltou apoio de seus conterrâneos na torcida.

“Achei estranho sermos tão poucos torcendo aqui, afinal, nossa colônia é muito grande no Brasil e, principalmente, no Rio”, disse o português.

O presidente da Casa do Porto, na Tijuca, Manuel Branco, explicou que a comunidade portuguesa ficou decepcionada com o desempenho da seleção no jogo anterior, contra a Alemanha. “Nem o Cristiano Ronaldo jogou bem”, reclamou. Por isso, segundo ele, faltou animação para se reunir e assistir à partida, o que pode mudar para o próximo jogo, contra Gana.

Anton Smykov ficou decepcionado com o resultado de ontemJosé Pedro Monteiro / Agência O Dia

Russos esperam reverter situação no próximo jogo

Anfitriões da próxima Copa do Mundo, os russos levaram na esportiva a derrota para os belgas e esperam reverter a situação para que a seleção chegue pelo menos à segunda fase do Mundial. “Mesmo achando muito difícil a Rússia ganhar a Copa, esperava vencer a Bélgica hoje. Agora, é esperar pelo próximo jogo. Mas vou comemorar de qualquer forma. Afinal, estou no Rio”, disse o torcedor russo Anton Smykov, de 31 anos.

Em vantagem também em quantidade na Praia de Copacabana, os belgas, por sua vez, mostraram grande animação. Com bandeiras e adereços nas cores do país, eles vibraram com o gol de Divock Origi nos últimos minutos do jogo. Para Sofie Verkinderen, 34, há motivos de sobra para celebrar. “Vou dançar, cantar e ser feliz hoje. É muito bom estar aqui no Brasil. As pessoas são ótimas”, elogiou a torcedora.

Últimas de Rio De Janeiro