Pezão abre palanque para Aécio Neves e Cesar Maia no Rio de Janeiro

Agora candidato na chapa de Pezão, Cesar Maia definiu candidatura ao Senado neste final de semana. Ex-governador Sérgio Cabral não concorrerá a cargo público

Por O Dia

Rio - Pela primeira vez o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) admitiu abrir seu palanque para os presidenciáveis Aécio Neves (PSDB) e pastor Everaldo (PSC). A afirmação foi feita por volta das 11h desta segunda-feira, em um hotel no Rio, em ato que confirmou o nome de Cesar Maia (DEM) como candidato à vaga no Senado com o apoio do PMDB na chapa de Pezão. Ex-governador, Sérgio Cabral declarou em rede social que não disputará cargo público nesta eleição e fica encarregado de coordenar a campanha do peemedebista. 

"Eu tenho meu palanque que vai ser com os três candidatos. Minha aliança é pelo Rio de Janeiro. A política é dinâmica e tenho meu carinho pela presidenta Dilma", disse Pezão.

O governador ressaltou que quem rompeu a aliança no estado foi o PT, proporcionando o surgimento do movimento Aezão, criado pelo presidente regional do PMDB Jorge Picciani. "Tenho sempre falado com ela (Dilma). Não fomos nós que rompemos. O PT esteve no governo por sete anos e três meses. Antes, tinha duas prefeituras. Hoje o PT tem 11, o vice-prefeito do Rio e um senador. Eles que criaram essa dissidência", declarou o governador.

Além de Pezão e do vereador e ex-prefeito César Maia, participaram do encontro Jorge Picciani, o presidente regional do PSDB deputado Luiz Paulo Correa da Rocha e o presidente regional do PPS Comte Bittencourt. Os deputados federais Leonardo Picciani (PMDB) e Rodrigo Maia (DEM) também compareceram à reunião.

O vereador Cesar Maia, agora candidato majoritário na chapa de Pezão, declarou que sua decisão de se candidatar ao Senado foi tomada neste final de semana. O fato se deu após as últimas movimentações na política regional. Segundo ele, a aliança entre PT e PSB colocaria dois candidatos à presidência — Dilma (PT) e Eduardo Campos (PSB) — em vantagem com relação a Aécio Neves no estado do Rio.

Sérgio Cabral declara em seu Twitter que desiste da vaga ao Senado

Ainda nesta manhã, Sérgio Cabral declarou em seu Twitter que "com 24 anos de mandatos consecutivos conferidos generosamente pela população do estado, abdica da candidatura ao Senado Federal". Ele ressaltou que já teve a honra de exercer o cargo "que moveu toda a sua vida política".

 

Últimas de Rio De Janeiro