Greve do Colégio Pedro II continua, mesmo com decisão contra do STJ

Superior Tribunal de Justiça determinou retorno imediato de servidores ao trabalho

Por O Dia

Rio - O Superior Tribunal de Justiça (STJ), em mais uma medida liminar, determinou o fim da greve dos servidores e professores do Colégio Pedro II que se arrasta desde o dia 17 de maio. Nesta terça-feira, o Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe) irá recorrer pedindo que a liminar que obriga os profissionais da educação a voltarem ao trabalho seja derrubada.

LEIA MAIS:

Técnicos e professores em greve no Colégio Pedro II

Defesa Civil libera prédio, mas Pedro II vai se mudar

No dia 17 de junho, os servidores de institutos de educação e universidades federais, como o Pedro II, no Rio de Janeiro, receberam a notícia que o STJ aplicou multa diária de R$ 200 mil ao sindicato e pediu a volta imediata dos profissionais às suas funções. Mesmo depois da liminar, os servidores continuam paralisados, pelo menos até as próximas plenárias nacionais do sindicato, que acontecem no próximo final de semana.

Mais de dez mil alunos da instituição estão sem aulas desde o dia 17 de maio. De acordo com o sindicato, as 14 unidades do colégio estão 80% paradas. Somente alguns professores do 1º segmento do ensino fundamental – de 1º ao 5º ano – estão dando aulas e a reitoria do estabelecimento funciona normalmente.

Os professores do Colégio Pedro II pedem a regularização salarial dos professores novos, que não receberam a retribuição por titulação desde a última admissão na escola. Além disso, pedem reajuste salarial repondo perdas com a inflação do período, o investimento de 10% do PIB para a Educação, o fim do plano de previdência privada criado pelo governo em 2003, entre outros aspectos. A precariedade nos campus dos colégios também é uma das pautas.

Últimas de Rio De Janeiro