Por felipe.martins

Rio - Há duas semanas da final da Copa, a Polícia Federal (PF) tem pronto o plano para garantir a segurança dos finalistas e dos 26 chefes de Estado que confirmaram presença na decisão, que ocorrerá no Maracanã. Agentes federais que atuaram em outros seis estados durante o Mundial irão reforçar o efetivo da PF no Rio para evitar transtornos nos deslocamentos das autoridades e das delegações que disputarão o título no país.

Dos 900 PMs que reforçarão policiamento%2C 270 são da ativa e o restante deslocado de função burocráticaCacau Fernandes / Agência O Dia

A missão, apontada como a mais delicada para garantir a segurança do evento, contará com 200 homens — o equivalente a 20% do efetivo da PF no evento. Na próxima semana, agentes que trabalharam nos jogos disputados na primeira fase nas arenas de Paraná, Mato Grosso e Amazonas reforçarão o controle migratório e a segurança nos aeroportos. Às vésperas da decisão, policiais de Minas Gerais, Espírito Santo e São Paulo também estarão no Rio.

“Iremos acompanhar os deslocamentos de aeroportos, hotéis, centros de treinamento. Mas o deslocamento mais delicado será do hotel para o estádio porque precisamos garantir que as delegações cheguem no horário do jogo”, afirmou o delegado Álex Bersan, coordenador adjunto de Grandes Eventos da Polícia Federal do Rio.

Cada delegação será escoltada por um comboio de dez batedores do Ministério da Defesa ou Polícia Rodoviária, um carro tático da Polícia Militar e três viaturas da PF.

Ontem, membros do Comitê Local de Segurança da Copa do Mundo apresentaram um balanço da primeira fase da competição e revelaram detalhes da operação para o jogo de hoje no Maracanã, às 17h, entre Colômbia e Uruguai.

Policiais dos dois países envolvidos na disputa estarão nas arquibancadas para auxiliar as autoridades brasileiras. E a PM contará com um reforço de 900 homens para o policiamento no Maracanã e no entorno do estádio, que terá um efetivo de 4 mil PMs.

Bloqueio sete horas antes do jogo

Os PMs deslocados para a segurança do entorno do Maracanã chegam às 7h, com o bloqueio da área começando parcialmente às 9h pelos guardas municipais. Uma hora depois, o bloqueio será total.

Dos 900 policiais militares que reforçam o policiamento, 270 são do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP). O restante será deslocado de funções burocráticas para as ruas. A Guarda Municipal contará com 55 viaturas colocadas como ponto de apoio e terá 1.049 agentes de segurança nos pontos de maior aglomeração. Metade deles estará nos arredores do Maracanã — um aumento de 55% em comparação aos jogos da primeira fase.

Você pode gostar