Em evento com Pezão e Paes, Dilma exalta parceria no Rio

Às vésperas do início da campanha, presidenta e governador inauguram hospital em Saquarema

Por O Dia

Rio - Com troca de gentilezas, o governador Luiz Fernando Pezão e a presidenta Dilma Rousseff promoveram ontem no Rio a primeira agenda pública entre dois candidatos à reeleição ao Palácio Guanabara e ao governo federal, após as últimas reviravoltas nas alianças políticas no estado. O encontro foi exatamente uma semana depois de Pezão ter confirmado o nome do ex-prefeito Cesar Maia na chapa majoritária como candidato ao Senado, numa coligação envolvendo PMDB, DEM e PSDB, abrindo espaço para a campanha do presidenciável tucano Aécio Neves.

As palavras parceria e gratidão foram as mais usadas pelos dois nos discursos feitos nas agendas administrativas. O primeiro encontro foi na inauguração de um hospital estadual em Saquarema, na Região dos Lagos.

Ao lado do prefeito Eduardo Paes e de Pezão%2C Dilma inaugurou%2C no Estácio%2C dois conjuntos habitacionais do programa Minha Casa%2C Minha Vida João Laet / Agência O Dia

Primeiro a falar, Pezão afirmou que a parceria com a presidenta vai continuar apesar das “diferenças, das cotoveladas que vêm por aí no período eleitoral”. “Presidenta, nosso eterno agradecimento a esta parceria que a gente fez e vamos continuar fazendo. Nossa parceria está acima das questões partidárias, políticas”, disse o governador.

Ainda em Saquarema, Dilma também não economizou elogios ao peemedebista, a quem chamou de “meu governador”, e também falou da aliança deles desde o início do governo Sérgio Cabral. “Eu quero lembrar que nós estamos nessa parceria há mais de sete anos, desde quando o então o presidente Lula me nomeou “mãe do PAC” e, depois, nomeou o Pezão aqui, no Estado do Rio, o “pai do PAC”, contou a presidenta Dilma Rousseff.

Já na cidade do Rio, durante a entrega de 998 apartamentos no Estácio pelo programa Minha Casa, Minha Vida, Dilma e Pezão foram recepcionados pelo prefeito Eduardo Paes, do PMDB. Desde que Maia passou a integrar o chamado movimento ‘Aezão’ (Aécio + Pezão), Paes reforçou o apoio a presidenta no Rio.

Ontem, o prefeito disse que a parceria dos últimos anos, entre as três esferas de governo, foi responsável pelas melhorias ocorridas na cidade e no estado.

No palco armado no meio do conjunto residencial estavam presentes políticos pró-Dilma e pró-Aécio. Pelo lado da presidenta, compareceram os deputados petistas Luiz Sérgio e Edson Santos e o deputado Hugo Leal, candidato do PSC ao Senado na chapa com Anthony Garotinho (PR). Pelo grupo do PMDB que defende o ‘Aezão’ estavam o deputado estadual Rafael Picciani, filho de Jorge Picciani, e o prefeito de Queimados, Max Lemos.

Em novo discurso, Pezão, mais uma vez, reafirmou a parceria com Dilma. Ao citar a importância da união para a construção do conjunto habitacional, o governador afirmou à presidenta que nada iria separá-los.

Dilma destacou a importância de ter um time unido, como o que tem com Pezão e Paes. Ela aproveitou para criticar os alarmistas e pessimistas que afirmavam que em vez de Copa do Mundo haveria o caos no país. “Mas éramos um time espalhado pelo Brasil e fizemos os estádios, os aeroportos, aqui o BRT”, enumerou Dilma.

Pezão: “Não vou abrir palanque”


Com quatro palanques no Rio, a presidenta Dilma Rousseff dificilmente fará campanha com os candidatos ao governo do estado. A avaliação é do governador e candidato à reeleição Luiz Fernando Pezão. Além dele, os senadores Lindbergh Farias (PT) e Marcelo Crivella (PRB) e o deputado Anthony Garotinho (PR) são aliados ao Palácio do Planalto e candidatos ao governo fluminense.

Em entrevista ontem ao DIA, Pezão afirmou que o tom da campanha no Rio será dado pelo governo federal. “Acho difícil ela (Dilma) querer fazer uma agenda no Rio com quatro candidatos que a apóiam. Não sei como vai ser. Quem dá o tom nisso é o governo federal; é a candidatura federal”, disse Pezão, horas antes de participar de inaugurações ao lado de Dilma.

Na semana seguinte à intervenção do Palácio do Planalto, que levou o Pros a apoiar a candidatura Garotinho, Pezão adotou um discurso mais cauteloso e garantiu que não vai abrir seu palanque para o presidenciável tucano Aécio Neves. “Não vou abrir palanque; eu não tenho palanque”, afirmou o governador.

Há uma semana, a candidatura de Pezão foi surpreendida com a ação do Planalto, que incentivou o Pros a apoiar a candidatura de Garotinho. Com isso, o ex-governador ganhou mais tempo de TV, considerado o principal instrumento de campanha.

A cinco dias do início oficial da campanha, o governador do Rio tem uma maratona de inaugurações. Sexta-feira é o último dia permitido por lei para os candidatos inaugurarem obras.

As inauguraçãoes de Pezão

HOJE
Arco Metropolitano do Rio de Janeiro
Centro Vocacional Tecnológico (CVT) em Mendes
Estrada Mendes x Vassouras - Mendes.
Escola Técnica em Vassouras
Rodovia RJ-127, em Vassouras.
Sede do Programa StartupRio

AMANHÃ
Teleférico da Providência
Estrada Quatis-Falcão
Estação Intermodal do Maracanã e início da operação dos novos trens da SuperVia.
Unidades habitacionais na Cidade de Deus
Entrega de 300 veículos UPP e oito blindados

QUINTA-FEIRA

Creche na Rocinha.

Lançamento da obra de construção do sistema de esgotamento sanitário de Alcântara, em São Gonçalo, no âmbito do Programa de Saneamento dos Municípios do Entorno da Baía de Guanabara (PSAM)
Obras de implantação do sistema de coleta, transporte e tratamento de esgotos sanitários em Monte Alto, na cidade de Arraial do Cabo.

Inauguração de Clínica da Família em Iguaba

Fábrica da Paper Box Saquarema Indústria de Embalagens Ltda, em Saquarema.

Unidades habitacionais em Nova Friburgo.

SEXTA-FEIRA

Sistema de abastecimento de água da comunidade Palmeirinha, no Alemão
Centro Vocacional Tecnológico (CVT) em Rio Claro.
Faeterj de Barra Mansa.

Últimas de Rio De Janeiro