Idosos poderão estacionar gratuitamente em vagas públicas no Rio

Quem tem mais de 65 anos não precisará pagar pelo estacionamento nas ruas e avenidas da cidade

Por O Dia

Rio - A prefeitura vai publicar na próxima semana edital para escolher as empresas que vão administrar cerca de 45 mil vagas públicas nas ruas e avenidas da cidade do Rio. A novidade é que haverá gratuidade do serviço para quem tem mais de 65 anos, acompanhantes de pacientes internados em unidades de saúde e portadores de necessidades especiais. O novo sistema, que será informatizado, terá tarifas que vão variar de R$ 2 a R$ 8, por períodos de duas ou quatro horas.

No caso de motocicletas e outros veículos similares, o valor a ser pago corresponderá a 30% do determinado para carros. O modelo a ser adotado é o mesmo de Paris, na França, e Amsterdã, na Holanda, e deverá colocar um ponto final no trabalho dos flanelinhas.

Antes de colocar o serviço em prática, a prefeitura decidiu criar condições especiais para os moradores que vão usar vagas que ficam no seu bairro. Desta forma, no período das 19h às 6h59 do dia seguinte, quem estiver nesta situação pagará um preço único, a ser determinado. Como contrapartida, de acordo com a mesma regra, o motorista deve estacionar a uma distância máxima de 300 metros da sua casa.

Um diferencial do sistema é que haverá tarifas diferenciadas para vagas em áreas próximas a eventos. Além disso, a cada três meses, podem ocorrer revisões de acordo com a taxa de ocupação. Por enquanto, ficou estabelecido que haverá aumento de R$ 0,50 quando esta taxa exceder a 80%. E diminuição deste mesmo valor monetário quando o uso das vagas disponíveis for abaixo de 60%. Essa regulação tem um motivo: a prefeitura quer incentivar o rodízio nos pontos de parada.

A licitação vai ocorrer em dois lotes. O primeiro será para 60% das vagas e se destina ao Centro, Flamengo, Laranjeiras, Glória, Catete, Largo do Machado, Laranjeiras, Cosme Velho e Zona Oeste. O outro edital fica com a região da Zona Norte, na parte que engloba Tijuca, Madureira, Cascadura, Ilha do Governador e bairros do entorno, além de, na Zona Sul, Botafogo, Leblon, Ipanema, Humaitá, Lagoa, Jardim Botânico, Copacabana e Leme.

R$ 100 milhões para o município

O secretário de Concessões e Parcerias Público-Privadas, Jorge Arraes, disse que a prefeitura deve receber de outorga das empresas que vão explorar o serviço R$ 100 milhões pelos 25 anos de concessão. “O novo sistema sai da cartela e institui o controle eletrônico, mais eficaz e que garante um controle maior das áreas de estacionamento”.

Apesar do sistema moderno, os motoristas devem ficar atentos ao sistema de vagas inteligentes. Afinal, em casos excepcionais, como, por exemplo, se a pessoa passar mal e ficar numa emergência de hospital por mais de quatro horas (tempo máximo do tíquete), certamente, ela, se for a condutora do carro, vai se deparar com uma multa ao retornar para o veículo.

Nestes casos, segundo explicou o Procon Estadual, não há o que fazer. O mesmo também vai ocorrer em casos de danos ou furtos no carro que for deixado na vaga pública. Como o serviço prestado é a regulação do espaço público, não haverá êxito em caso de uma ação judicial de indenização.

Últimas de Rio De Janeiro