Torcida carioca está dividida entre a confiança e a tensão

Grupos vão acompanhar nas ruas enfeitadas a partida contra a Colômbia, às 17h

Por O Dia

Rio - Uma só torcida — para o Brasil, claro — e sentimentos opostos. O jogo desta sexta-feira, contra a Colômbia, promete dividir os apaixonados pela seleção. Enquanto uns se mostram confiantes, outros admitem estar apreensivos, principalmente após a última partida com o Chile, em que a decisão foi apertada e saiu nos pênaltis.

Na Rua Almirante Gonçalves, em Copacabana, a tranquilidade é tanta que os torcedores chegam a acreditar em goleada. “Não estou nem um pouco nervoso. Para mim será 3 a 0”, arriscou o gerente comercial Valmir Oliveira, de 42 anos. “A seleção fará 5 a 2 facilmente em cima dos colombianos”, palpitou Miracir Gomes, 70.

Valmir (sentado à esquerda%2C de blusa listrada) e amigos da Almirante Gonçalves estão “relaxados”%2C e aproveitam para arriscar palpites para o jogo%2C com direito a goleadaUanderson Fernandes / Agência O Dia

Organizador da festa dos moradores da rua, Josef Reis, 50, faz coro: “A Colômbia tem um estilo que deixará o Brasil jogar, ao contrário do Chile”, palpitou ele, já comemorando: “Vamos celebrar no melhor estilo do carioca, com churrasco e samba”.

Bem diferente deles, a Turma da Washington Luiz, no Centro, que exibe as partidas em um telão e promove festas após o jogo, na rua que leva o mesmo nome, está ansiosa e prefere não arriscar placar, apesar de torcer pelo Brasil.

Um dos patrocinadores da festa, o comerciante Humberto Mendes, 47, diz que evitará olhar a partida: “Estou mais nervoso para esse jogo. Vou relaxar antes e evitar assistir muito. Admito que não estou confiante”, assume ele, ao lado do filho Matheus Mendes, 18: “Aqui a emoção é parecida com a do estádio. A gente canta o hino, chora, puxamos gritos de torcida”, contou o jovem.

“O nervosismo é pelo sufoco dos últimos jogos. Vamos tentar driblar essa ansiedade trabalhando”, comentou João Hermínio, 37. Já Thiago Pedrosa, 33, aposta na presença de crianças para amenizar a tensão.

“Será uma partida complicada, e a galera vai ficar nervosa. Mas com a torcida das crianças, que marcam presença em peso, fica mais divertido”, disse Thiago.

Quatro horas antes da partida do Brasil, às 17h, os cariocas já estarão de olhos fixos na televisão. França e Alemanha se enfrentarão às 13h, no Maracanã, e prometem grande partida. “Vou ao estádio e minha torcida é pela Alemanhã, nossa freguesa. Brasil não pode pegar França. Sempre perdemos”, contou o administrador Dênis Duarte, 31.


Últimas de Rio De Janeiro