Sopro de esperança nas águas da Praia da Bica

Após décadas de abandono, balneabilidade é recuperada com fim de línguas negras

Por bianca.lobianco

Rio - Depois de 50 anos agredida por despejos diários de 40 litros de esgoto por segundo, a Praia da Bica, no Jardim Guanabara, Ilha do Governador, começa a ter a balneabilidade recuperada. Graças ao Programa Sena Limpa, parceria entre a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), Secretaria do Ambiente, Rio Águas, Comlurb e prefeitura, foram eliminadas oito línguas negras que atravessavam a areia há cinco décadas, num trecho de dois quilômetros, e eram despejadas no mar.

Técnicos da Cedae fazem coletas e comprovam melhoria da qualidade da água na praia da Ilha do GovernadorEstefan Radovicz / Agência O Dia

Os investimentos alcançam R$ 26 milhões, provenientes do Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano (Fecam), e incluem obras importantes do macroprojeto de despoluição da Baía de Guanabara.

O empresário Jefferson de Oliveira, de 66 anos, que nasceu na Ilha, mora na Califórnia (EUA) e periodicamente vem ao Rio para praticar pesca esportiva, se diz surpreso: “Estou maravilhado com a melhoria da qualidade da água e da areia da Praia da Bica. Os moradores, os turistas e, principalmente, a natureza, agradecem”, afirmou Jefferson, garantindo que espécies de peixes como bagre e cocoroca estão aparecendo em maior abundância na região.

De acordo com o gerente regional da Cedae na Ilha do Governador, Marcello Sobrinho, entre as primeiras análises semanais foi constatado índice de 500 coliformes fecais para 100 ml de água coletada. “Isso é a metade do padrão ideal estabelecido pelo Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente). É óbvio que esses índices variam em função de chuvas e outros fatores, e terão que ser medidos em série, mas ficamos animados com os resultados”, ressalta Marcello.

Na terça-feira, onde ano passado a paisagem predominante era formada por lixo, roedores e urubus, famílias inteiras passeavam pela praia e tiravam fotos. “Sempre mergulhamos aqui, mas só agora começamos a perder o medo de contrair alguma doença de pele, o que já ocorreu em 2012”, comentou a comerciária Janete Vilar da Silva, de 35, que aproveitou sua folga para curtir a praia ao lado dos filhos Pedro, de 13, e Raiam, de 11.

Obra deve acabar no fim do ano

Iniciadas há pouco mais de um ano, as intervenções na Praia da Bica ainda devem se estender até dezembro. De acordo com Patrício Rodrigues, engenheiro da empresa responsável por parte das obras, 16 dos 20 quilômetros de troncos coletores de esgoto, que eram de cimento, já foram substituídos por PVC.

“Setenta por cento dos 7.383 imóveis do entorno da praia também já tiveram suas ligações prediais remanejadas para uma galeria de concreto armado de 1,5 Km e 600 mm de diâmetro, que a prefeitura instalou”, ressalta Patrício Rodrigues.

O programa inclui ainda a modernização da Estação Elevatória Praia da Bica, que tem capacidade de receber até 200 litros por segundo de esgotos. A elevatória, que bombeia os resíduos para a Estação de Tratamento de Esgotos da Ilha do Governador, está ganhando equipamentos que garantirão as técnicas mais avançadas de automatização, de redução de consumo de energia elétrica, baixo nível de ruído e sistema de desodorização.

“As intervenções na Praia da Bica são importantes porque estão inseridas num projeto maior, de saneamento de toda a Ilha do Governador, orçado em R$ 38 milhões”, detalha o presidente da Cedae, Wagner Victer.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia