Por felipe.martins

Rio - O Sambódromo ganhou cenário bem diferente do visto durante o Carnaval ou do dia a dia da cidade. Acostumada a receber carros alegóricos, fantasias, adereços e belas passistas, a Passarela está ocupada por um mar de veículos de passeio, estacionados em filas duplas, entre os setores 3 e 9 da Sapucaí.

De acordo com a Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro (Riotur), os carros pertencem a policiais do Batalhão de Choque da PM, que pediram para usar o local como estacionamento até 14 de julho. Segundo o órgão, a polícia requisitou o uso do espaço para o período da Copa por ser um ‘ponto estratégico’ para a corporação. O Batalhão de Choque fica na Av. Salvador de Sá, no Estácio, perto do Sambódromo.

Veículos estão parados entre os setores 3 e 9 da Marquês de Sapucaí%3A vigilante toma conta do espaçoAgência O Dia

O trecho está cercado por grades na altura da dispersão e da Avenida Presidente Vargas. Um guarda uniformizado toma conta do local e, desde o dia 20, autoriza os carros que podem entrar. Pedestres também são impedidos de entrar no local, em um período de grande concentração de turistas na cidade por conta da Copa do Mundo, cuja final acontece domingo no Maracanã.

A Riotur também justificou que apoia a operação da PM, ‘como já fez em diversas outras ocasiões’. Ao ser questionada se a nova função da Passarela atrapalharia o turismo no local, argumentou que o setor de visitação, que fica na Praça da Apoteose, não foi afetado pela interdição.

A PM afirmou que pediu o espaço para a prefeitura em função da escala de folgas dos policiais, que foi reduzida durante a Copa do Mundo. “Como o pátio do batalhão não possui espaço suficiente, o local foi cedido pela prefeitura temporariamente”, respondeu, por nota.

A corporação, porém, não informou quantos agentes do Batalhão de Choque têm o benefício de estacionar diariamente na Sapucaí, mas afirmou que não é cobrado nenhum valor aos policias que param seus veículos no local.

Prefeitura libera Apoteose para veículos de argentinos

A prefeitura decidiu ontem à noite, em função da vitória da Argentina sobre a Holanda na semifinal da Copa do Mundo, que vai abrir a Praça da Apoteose para o estacionamento de motorhomes, uma vez que o Terreirão do Samba já está com sua capacidade máxima (hoje com 140 veículos). Os ônibus de fretamento serão encaminhados para o Fundão pela CET-Rio.

A expectativa do secretário de Turismo, Antonio Pedro Figueira de Mello, é que até 70 mil argentinos estejam no Rio para acompanhar a final da Copa na cidade.

Você pode gostar