A conta é nossa

Mesmo o cidadão fluminense que, na Copa, não chegou perto do Maracanã será obrigado a bancar o transporte de quem foi ao estádio

Por O Dia

Rio - Mesmo o cidadão fluminense que, na Copa, não chegou perto do Maracanã será obrigado a bancar o transporte de quem foi ao estádio. Só o custo das passagens de metrô deverá chegar a cerca de R$ 2,2 milhões — o valor será pago pelo estado.

Uma lei de 2012 prevê também o subsídio às despesas do público em barcas, trens e ônibus intermunicipais. Para usufruir da generosidade bastava apresentar o ingresso do jogo nas roletas. A SuperVia não informou quantos passageiros foram beneficiados.

Presentão

Segundo o Metrô Rio, 588.900 passagens não foram pagas por torcedores nos seis jogos já realizados. A média, de 98.150 passageiros (ida e volta) por partida, indica que, hoje, o total de bilhetes subsidiados chegará a 687.050. Todos dividiremos o transporte de quem pagou entre R$ 165 e R$ 1.980 por um lugar na final.

Nas alturas

A caipirinha está entre as bebidas que serão servidas no almoço que Dilma Rousseff oferece a 15 chefes de estado e governo. E o pessoal da Ceasa comemora: por conta do drinque, a venda de limões subiu 10% desde o início da Copa.

Bebeu, pagou

A Secretaria Estadual de Fazenda calcula que a venda de bebidas no Maracanã e em áreas como a Fan Fest gerou, até agora, arrecadação de ICMS que chega a R$ 1,2 milhão.

Últimas de Rio De Janeiro