Traficante Celsinho da Vila Vintém é um 'sobrevivente na selva'

Tido como um sanguinário na década de 1990, criminoso, que nesta segunda-feira foi transferido ao lado do Menor P e mais dois para o Presídio de Catanduvas (PR), adota a diplomacia

Por O Dia

Rio - Com 53 anos de idade, Celso Luiz Rodrigues, o Celsinho da Vila Vintém, é um sobrevivente na ‘selva’ do tráfico de drogas. Considerado um bandido sanguinário na década de 1990, ele chegou a recorrer a uma espécie de ‘diplomacia’ para se manter vivo, orquestrando ações criminosas por trás das grades.

Criador de uma facção criminosa — a Amigos dos Amigos —, Celsinho negociou a própria vida com Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, chefão do Comando Vermelho, durante rebelião no Complexo de Bangu em setembro de 2002, quando integrantes do CV executaram quatro chefes de grupos rivais.

Menor P (à esquerda), Zangado, MB e Celsinho da Vila Vintém, pouco antes do embarque num avião da Polícia Federal, no Aeroporto do GaleãoDivulgação / Amanda Santos

Foram mortos na rebelião Ernaldo Pinto de Medeiros, o Uê (que teve o corpo carbonizado), Wanderley Soares, o Orelha; Carlos Alberto da Costa, o Robertinho do Adeus, e Elpídio Rodrigues Sabino, o Pidi.

Celsinho conseguiu sair vivo da rebelião, alegando que passaria o controle de venda de drogas da Vila Vintém para a facção dos antigos rivais.

Ao lado de Marcelo Santos da Dores, o Menor P, o irmão dele, Fabiano Santos de Jesus, e Amabílio Gomes Filho, o MB, Celsinho da Vila Vintém foi transferido nesta segunda-feira para a Penitenciária Federal de Catanduvas, no Paraná. Os presos saíram de Bangu 1 às 10h30, escoltados por 25 inspetores da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) até o aeroporto do Galeão, onde embarcaram em um avião da Polícia Federal.

Menor P foi preso num triplex em Jacarepaguá em março

O pedido de transferência de Menor P foi feito há quatro meses pelo secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, quando o traficante, apontado como chefe do tráfico de 11 das 15 favelas do Complexo da Maré, foi preso por policiais federais em um apartamento de luxo em Jacarepaguá.

Menor P fugira do complexo depois da tomada da região pelas Forças de Segurança para a pacificação. Na ocasião, em depoimento a policiais da Delegacia de Repressão a Entorpecentes da Polícia Federal, Menor P afirmou que era ‘o dono’ da região.

Em maio, Fabiano Santos de Jesus, o Zangado, que ficou à frente da quadrilha com a prisão do irmão, foi preso em ação do Exército e Polícia Federal no Conjunto Nova Esperança, na Maré. Zangado, apontado pela polícia como extremamente violento, foi capturado com dois comparsas, armados e com dinheiro do tráfico. Os irmãos integram a facção Terceiro Comando Puro (TCP).

Também em maio foi preso Amabílio Gomes Filho, o MB, do Comando Vermelho (CV) e apontado como chefe do tráfico na Nova Holanda e Rubens Vaz, na Maré. Segundo a polícia, além de traficante, MB foi um dos principais ladrões de cargas e carros do Rio.

O quarto preso transferido para o Paraná, Celso Luís Rodrigues, o Celsinho da Vila Vintém, cumpre pena desde 2002, quando foi preso, em casa, na Vila Vintém, em Bangu. Ele é fundador da facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA). Segundo investigações, Celsinho teria planejado a tentativa de fuga do traficante Alexandre Bandeira de Melo, o Piolho, em outubro, no Fórum de Bangu, quando um PM e uma criança de oito anos foram mortos.

Últimas de Rio De Janeiro