Manifestantes presos antes da Copa deixam o Complexo de Gericinó

Doze dos 17 presos na Zona Oeste foram liberados na madrugada desta quinta. Cinco tiveram prisão prorrogada

Por O Dia

Rio - Foram liberados na madrugada desta quinta-feira, do Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu,  na Zona Oeste do Rio, 12 dos 19 manifestantes que tiveram a prisão temporária decretada pela Justiça, sob a alegação de formação de quadrilha e de planejar protestos violentos para a final da Copa do Mundo. Os ativistas estavam detidos desde sábado e tiveram um habeas corpus concedido na terça-feira pelo desembargados Siro Darlan, da 7ª Câmara Criminal. Ele alegou que as prisões eram ilegais.

De acordo com nota da Secretaria de Administração Penitenciária foram liberados Emerson Raphael Oliveira da Fonseca, Rafael Rêgo Barros Caruso, Filipe Proença de Carvalho Moraes, Felipe Frieb de Carvalho, Pedro Brandão Maia, Bruno de Souza Vieira Machado, Gabriel da Silva Marinho, Gerusa Lopes Diniz, Karlayne Moraes da Silva Pinheiro, Eloysa Samy Santiago, Rebeca Martins de Souza e Joseane Maria Araújo de Freitas.

Na quarta-feira, o juiz Marcius Ferreira, da Vara da Infância e da Juventude da Capital concedeu liberdade a dois menores apreendidos na ação de sexta-feira da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), responsável pelas investigações contra o grupo acusado de promoção de protestos violentos. Porém, cinco ativistas tiveram as prisões temporárias prorrogadas e permanecem presos. São eles: Elisa Quadros, a Sininho, Tiago Rocha, Eduarda Souza, Camila Rodrigues e Igor D'icarahy.

Últimas de Rio De Janeiro