Escritor João Ubaldo Ribeiro morre no Rio de Janeiro

Dono da cadeira número 34 da ABL, acadêmico morreu em casa vítima de embolia pulmonar, na madrugada desta sexta

Por O Dia

Rio - O escritor João Ubaldo Ribeiro, de 73 anos, morreu na madrugada desta sexta-feira, em sua residência no Leblon, na Zona Sul. Sétimo ocupante da cadeira número 34 da Academia Brasileira de Letras, o imortal e acadêmico escreveu mais de 20 livros, publicados em 16 países. Ele morreu vítima de uma embolia pulmonar.

GALERIA: Confira imagens da carreira do imortal João Ubaldo Ribeiro

Nascido em Itaparica, na Bahia, João Ubaldo é autor de diversos clássicos da literatura brasileira, como "Sargento Getúlio", "O Sorriso do Lagarto", "A Casa dos Budas Ditosos" e "Viva o Povo Brasileiro", entre outros. Em 2008, o escritor conquistou o Prêmio Camões, concedido pelos governos de Portugal e do Brasil, para autores que contribuem para o enriquecimento da língua portuguesa.

João Ubaldo Ribeiro com as humoristas do jornal O Grelo Falante, na época do lançamento do livro Luxúria - A Casa dos Budas DitososArquivo / Agência O Dia

O escritor também venceu, por duas vezes, o Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro. Em 1972, conquistou o Jabuti de Melhor Autor, por "Sargento Getúlio". Em 1984, venceu na categoria Melhor Romance, por "Viva o Povo Brasileiro".

João Ubaldo se formou em bacharel de Direito, em 1962, mas nunca exerceu a profissão. Ele foi professor da Escola de Administração e da Faculdade de Filosofia da Universidade Federal da Bahia e da Escola de Administração da Universidade Católica de Salvador, além de jornalista. Seu primeiro livro foi "Setembro não Tem Sentido", lançado em 1968.

Em 1993, entrou para a Academia Brasileira de Letras, sucedendo Carlos Castello Branco. O corpo do escritor, que era casado e tinha quatro filhos, deve chegar por volta das 10h na ABL, onde será velado, e o sepultamento será no Cemitério São João Batista, em Botafogo, na Zona Sul.

"Literatura brasileira perde um grande nome"

A morte do escritor foi lamentada por autoridades, que ressaltaram a importância de João Ubaldo para a cultura brasileira. Por meio de nota, a presidenta Dilma Rousseff prestou solidariedade à família do literário.

"A literatura brasileira perde um grande nome com a morte de João Ubaldo Ribeiro. Neste momento de dor, presto minha solidariedade aos familiares, amigos e leitores", declarou a presidente.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, fez referência às suas obras: "O Rio de Janeiro perde um carioca de coração. João Ubaldo adotou a cidade – e o Leblon – para viver e nos presenteou com seus romances e crônicas. Os livros “Sargento Getúlio” e “Viva o povo brasileiro” são referências literárias e constam na lista dos cem melhores romances brasileiros. João Ubaldo deixará saudade. É uma perda para a literatura brasileira".

ABL de luto

O Presidente da ABL, Acadêmico Gerado Holanda Cavalcanti, determinou o luto por três dias, e que a bandeira da Academia seja hasteada a meio mastro.

"É uma grande perda para a Academia, para o romance e o jornalismo nacionais . João Ubaldo Ribeiro deixa uma obra de excelência. Estamos todos muito chocados com a notícia”, declarou Cavalcanti, assim que recebeu a notícia.

Com informações da Agência Brasil

Últimas de Rio De Janeiro