Escritor João Ubaldo Ribeiro morre no Rio de Janeiro

Dono da cadeira número 34 da ABL, acadêmico morreu em casa vítima de embolia pulmonar, na madrugada desta sexta

Por paulo.gomes

Rio - O escritor João Ubaldo Ribeiro, de 73 anos, morreu na madrugada desta sexta-feira, em sua residência no Leblon, na Zona Sul. Sétimo ocupante da cadeira número 34 da Academia Brasileira de Letras, o imortal e acadêmico escreveu mais de 20 livros, publicados em 16 países. Ele morreu vítima de uma embolia pulmonar.

GALERIA: Confira imagens da carreira do imortal João Ubaldo Ribeiro

Nascido em Itaparica, na Bahia, João Ubaldo é autor de diversos clássicos da literatura brasileira, como "Sargento Getúlio", "O Sorriso do Lagarto", "A Casa dos Budas Ditosos" e "Viva o Povo Brasileiro", entre outros. Em 2008, o escritor conquistou o Prêmio Camões, concedido pelos governos de Portugal e do Brasil, para autores que contribuem para o enriquecimento da língua portuguesa.

João Ubaldo Ribeiro com as humoristas do jornal O Grelo Falante, na época do lançamento do livro Luxúria - A Casa dos Budas DitososArquivo / Agência O Dia

O escritor também venceu, por duas vezes, o Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro. Em 1972, conquistou o Jabuti de Melhor Autor, por "Sargento Getúlio". Em 1984, venceu na categoria Melhor Romance, por "Viva o Povo Brasileiro".

João Ubaldo se formou em bacharel de Direito, em 1962, mas nunca exerceu a profissão. Ele foi professor da Escola de Administração e da Faculdade de Filosofia da Universidade Federal da Bahia e da Escola de Administração da Universidade Católica de Salvador, além de jornalista. Seu primeiro livro foi "Setembro não Tem Sentido", lançado em 1968.

Em 1993, entrou para a Academia Brasileira de Letras, sucedendo Carlos Castello Branco. O corpo do escritor, que era casado e tinha quatro filhos, deve chegar por volta das 10h na ABL, onde será velado, e o sepultamento será no Cemitério São João Batista, em Botafogo, na Zona Sul.

"Literatura brasileira perde um grande nome"

A morte do escritor foi lamentada por autoridades, que ressaltaram a importância de João Ubaldo para a cultura brasileira. Por meio de nota, a presidenta Dilma Rousseff prestou solidariedade à família do literário.

"A literatura brasileira perde um grande nome com a morte de João Ubaldo Ribeiro. Neste momento de dor, presto minha solidariedade aos familiares, amigos e leitores", declarou a presidente.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, fez referência às suas obras: "O Rio de Janeiro perde um carioca de coração. João Ubaldo adotou a cidade – e o Leblon – para viver e nos presenteou com seus romances e crônicas. Os livros “Sargento Getúlio” e “Viva o povo brasileiro” são referências literárias e constam na lista dos cem melhores romances brasileiros. João Ubaldo deixará saudade. É uma perda para a literatura brasileira".

ABL de luto

O Presidente da ABL, Acadêmico Gerado Holanda Cavalcanti, determinou o luto por três dias, e que a bandeira da Academia seja hasteada a meio mastro.

"É uma grande perda para a Academia, para o romance e o jornalismo nacionais . João Ubaldo Ribeiro deixa uma obra de excelência. Estamos todos muito chocados com a notícia”, declarou Cavalcanti, assim que recebeu a notícia.

Com informações da Agência Brasil

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia