Justiça concede habeas corpus para os cinco últimos ativistas presos

Operação Firewall 2 resultou na prisão de 17 manifestantes. Todos eles foram levados para o Complexo de Gericinó e, na última quinta-feira, 12 foram soltos

Por bianca.lobianco

Rio - O Tribunal de Justiça informou, na tarde desta sexta-feira, que foi concedido habeas corpus para os cinco últimos ativistas presos. As prisões foram resultado da operação Firewall 2, coordenada pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI). A ação foi deflagrada no último sábado e envolveu 25 delegados, além de outros 80 policiais civis. A 27ª Vara Criminal emitiu 26 mandados de prisão, dentre os quais, 17 foram cumpridos. Os manifestantes são acusados de participar de atos de violência durante as manifestações da cidade.  

Dentre os ativistas que receberam o habeas corpus nesta sexta-feira está Elisa Quadros Pinto Sanzi, a Sininho, apontada pela delegada Renata Araújo como líder da Frente Independente Popular do Rio de Janeiro — entidade que, ainda de acordo com a delegada, centralizava o planejamento dos atos de vandalismo.

Elisa Quadros é uma das últimas ativistas a conseguir habeas corpusJosé Pedro Monteiro / Agência O Dia

Na madrugada de quinta-feira, 12 pessoas tiveram o pedido de liberdade aceito, restando apenas os últimos cinco manifestantes que também estavam presos no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste.

Durante a operação, os investigadores apreenderam máscaras de proteção contra gás, joelheiras, gasolina dentro de garrafa plástica, maconha, jornais e uma bandeira do Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR), além de revólver calibre 38.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia