Beltrame defende câmeras em viaturas: 'Infelizmente, temos policiais ruins'

Secretário também condenou ação de criminosos que atacaram a base da UPP do Complexo do Alemão

Por O Dia

Rio - O secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, defendeu nesta segunda-feira, o uso de câmeras nas viaturas da Polícia Militar. "Infelizmente temos policiais ruins, ligados ao crime, verdadeiros bandidos, eu digo que são bandidos ao quadrado. Mas a mesma polícia que praticou essa barbárie foi a polícia que os prendeu. Temos que buscar inteligência, corregedoria, implantar esse sistema de câmera para tirar essas pessoas da corporação", revelou Beltrame, sobre os oficiais Fábio Magalhães e Vinícius Lima acusados de envolvimento na morte de um menor no Morro do Sumaré, na Tijuca.

"Esperamos que a tecnologia ajude tanto a legitimar a ação do bom policial como mostrar para a sociedade que, se um policial agir errado, a instituição criou um sistema para se fiscalizar e, se for o caso, cortar a própria carne", disse, ressaltando que estão sendo investidos R$ 18 milhões na instalação das câmeras em duas mil viaturas da Polícia Militar até o fim do ano.

Beltrame: 'Infelizmente temos policiais ruins, verdadeiros bandidos'Ernesto Carriço / Agência O Dia

Os cabos Fábio Magalhães e Vinícius Lima estão presos há um mês e, em breve, deve ser iniciado o processo legal que pode resultar na expulsão deles da PM. Eles foram indiciados por homicídio e ocultação de cadáver e o inquérito foi relatado com pedido de prisão preventiva.

O secretário também condenou ação de criminosos que atacaram a base da UPP do Complexo do Alemão e balearam um policial. Ele garantiu que a polícia não vai mais suportar ações como essa e vai permanecer atuando na comunidade. Segundo Beltrame, o serviço de inteligência está sendo feito e já há, pelo menos, 50 mandados de prisão a serem cumpridos no Alemão. 

"O Alemão é um lugar muito denso, onde você não tem mobilidade e a polícia não pode transitar com tranquilidade para fazer o patrulhamento, mas a polícia está lá e é maioria. Nós não vamos voltar atrás nessas ações. Infelizmente, vamos passar por cenas dessa natureza porque desmanchar um quadro de criminalidade do tamanho que nós tínhamos no Rio de Janeiro não vai acontecer de uma hora para outra. Hoje, nós temos problemas, mas temos uma ação bastante contundente da Polícia", afirmou.

Últimas de Rio De Janeiro