Suspeito de tráfico no Alemão morre e comunidade volta a ter confronto

'Bebezão', como era conhecido, foi baleado na barriga durante troca de tiros no sábado e estava internado sob custódia

Por O Dia

Rio - Um dos suspeitos de integrar o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, Diogo Wellington Costas, de 28 anos, morreu na madrugada desta segunda-feira. 'Bebezão', como era conhecido, foi baleado na barriga durante uma troca de tiros no conjunto de favelas, no sábado. Ele foi preso e estava internado, sob custódia, no Hospital Salgado Filho, no Méier. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, Bebezão passou por cirurgia, mas não resistiu.

'Diogo Bebezão' era suspeito de integrar o tráfico no conjunto de favelas; ele foi baleado na barriga durante confronto, foi internado, mas não resistiuPolícia Civil / Divulgação

Nesta manhã, o clima no Complexo do Alemão voltou a ficar tenso, com uma troca de tiros entre policiais da UPP da comunidade e traficantes da região, por volta das 9h. O policiamento foi reforçado com agentes de outras unidades. Segundo informações da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), dois criminosos foram presos e o policiamento está reforçado por agentes de outras UPPs.

Por volta das 11h, a luz foi restabelecida no Morro do Alemão. Segundo a Light, o problema começou na noite de ontem, após ataques na comunidade. Um carro da Polícia Militar foi incendiado, e uma base da UPP foi atacada por bandidos. Um soldado foi baleado e está internado no Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio. Segundo a polícia, os ataques foram represália à morte de um jovem na noite de sábado, durante a troca de tiros. 

Teleférico sem previsão de retorno

Mesmo com o confronto, as escolas das redes estadual e municipal funcionam normalmente. No entanto, o Teleférico do Alemão não está funcionando. Segundo nota da SuperVia, os técnicos seguem fazendo reparos no local por conta de "problemas de segurança pública registrados na última quinta-feira" e não há previsão para que a operação seja retomada.


Últimas de Rio De Janeiro