Por thiago.antunes

Rio - O impulso em socorrer um amigo que sofria uma tentativa de assalto na orla da Praia do Recreio, Zona Oeste, acabou custando a vida do comerciante Ricardo Coviello Rei, que teria cerca de 55 anos. A vítima foi baleada com um tiro no peito, na tarde desta terça-feira, na Av. Lúcio Costa, próximo ao Posto 9. A Divisão de Homicídios (DH) investiga o caso.

Homem foi morto na Avenida Lúcio Costa%40vaniacsadv

De acordo com a polícia, um suspeito de participação no crime já foi identificado.
Ricardo aproveitava a tarde na companhia de amigos no quiosque do Betão, na orla do Recreio, onde jogava cartas. Por volta das 16h, um conhecido da vítima e de outros frequentadores do local, que estava em um Hyundai Elantra, no estacionamento da pista sentido Prainha, foi rendido por dois homens armados.

Os criminosos chegaram em um Honda City, placa KVJ-6497, que também seria roubado segundo investigadores, junto de outros dois bandidos. 

“Foi quando o Ricardo e um outro amigo perceberam que o nosso conhecido estava sendo rendido e seu carro seria roubado. Eles atravessaram a pista para ajudá-lo. Um dos homens que estava no Honda deu um tiro para o alto, diante da reação, mas um outro suspeito disparou duas vezes, pensando que eles eram policiais. Um tiro pegou no Ricardo, o outro acertou a sacola do dono do carro”, contou, em estado de choque, um amigo da vítima que atravessava a rua na hora e assistiu a tudo.

Ricardo, que seria diretor comercial de uma empresa de comércio de salgados, ainda foi atendido por equipe médica no local, mas não resistiu. Amigos, que o chamavam de “Ricardo do Croissant”, lamentaram o assassinato em plena luz do dia. Após os disparos, os quatro bandidos abandonaram o Honda e o carro que iriam roubar. Eles pararam um táxi e fugiram pela pista sentido Barra. Um dos suspeitos foi identificado pela Polícia Militar como Willian Melo de Souza, de 21 anos, graças à carteira de identidade, que caiu no local.

Willian já foi preso este ano

Willian, que usava uma tornozeleira de monitoramento eletrônico, segundo testemunhas que o viram fugir do local, já teria sido preso por PMs do 31º BPM (Recreio), no dia 16 de fevereiro deste ano. Contudo, dois meses depois, ganhou liberdade. Ainda segundo a polícia, ele pode ter sido o autor do disparo que acertou o comerciante.

Todo o entorno da cena do crime foi periciada por policiais da DH, que isolaram a área e interditaram a pista onde Ricardo caiu. Agentes também percorreram os prédios da orla em busca de imagens que possam identificar os outros acusados de participação no crime. “Isso se tornou constante no Recreio, todos os dias esses vagabundos roubam alguém aqui na orla. Não teve muito tempo, a poucos metros daqui, uma pessoa também foi roubada”, disse um morador.

Você pode gostar