Fechamento da Avenida Rodrigues Alves ainda depende da Justiça

MP questiona na Justiça os impactos no trânsito e as medidas de mitigação realizadas pela Cdurp

Por O Dia

Rio - O fechamento da Avenida Rodrigues Alves para a retirada da última parte da estrutura da Perimetral, adiado na semana passada para este sábado, ainda depende de decisão judicial. A interdição, inicialmente anunciada para 26 de julho, teve de ser remarcada a pedido do Ministério Público. O MP questiona na Justiça os impactos no trânsito e as medidas de mitigação realizadas pela Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp), órgão da prefeitura responsável pelas obras.

A 8ª Vara de Fazenda Pública do Tribunal de Justiça deu prazo até ontem para que as partes enviassem seus argumentos para o fechamento ou adiamento da operação. A Cdurp informou que já enviou as explicações solicitadas e aguarda agora a decisão da Justiça. Já o Ministério Público não fez a “manifestação de mérito” e respondeu apenas que aguardará a decisão.

A juíza Simone Lopes da Costa, responsável pelo processo, por sua vez, informou, por meio da assessoria de imprensa, que há uma expectativa de acordo entre as partes. Desde novembro do ano passado, as diversas fases de interdições de vias devido às obras de renovação da Zona Portuária, como a da Rodrigues Alves e da própria Perimetral, têm sofrido adiamentos por causa de questionamentos do Ministério Público sobre os impactos no trânsito.

Últimas de Rio De Janeiro