Beltrame pede transferência de presos suspeitos de chefiar quadrilhas no Rio

Secretário de Segurança solicitou a ida de Marcelo Pezão e Gão para presídios fora do estado

Por paulo.gomes

Rio - O secretário estadual de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, pediu nesta segunda-feira à Justiça a transferência, para presídios federais, de dois suspeitos de liderar organizações criminosas na cidade: Marcelo Cardoso, conhecido como Marcelo Pezão, e Marcos José de Lima Gomes, conhecido como Gão.

Pezão é suspeito de chefiar a quadrilha que controla a venda de drogas na comunidade de Vila Kennedy, na Zona Oeste. A polícia acredita que mesmo preso no Complexo Penitenciário de Gericinó, ele controlava os negócios na favela (vizinha ao presídio), que foi ocupada por uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) em maio deste ano.

Preso na semana passada, Gão é suspeito de ser uma das lideranças da milícia conhecida como Liga da Justiça, que controla várias comunidades da zona oeste. O grupo é conhecido por extorquir dinheiro de moradores e comerciantes da região, além de cometer crimes de tortura, agressão e assassinato.

Na última quinta-feira, a Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco) fez uma grande operação para deter mais 25 integrantes do grupo, que além de dominar comunidades carentes da região, mantinha controle sobre seis conjuntos habitacionais do Programa "Minha Casa, Minha Vida", do governo federal. Outros suspeitos de chefiar o grupo já estão presos em penitenciárias federais.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia