Engenheiro morto durante tentativa de assalto é enterrado

Vítima chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos

Por O Dia

Rio - Foi enterrado, por volta das 16h desta terça-feira, o corpo do engenheiro Marcelo Magalhães Gonçalves, de 46 anos, morto numa tentativa de assalto na Avenida Marechal Rondon, no Sampaio, na manhã de segunda-feira. Durante o cortejo, no Cemitério da Ordem da Penitência, no Caju, familiares não quiseram falar com a imprensa.

Marcelo Magalhães Gonçalves%2C de 46 anos%2C foi morto na manhã desta segunda-feira durante tentativa de assalto na Av. Marechal Rondon. Ele era casado e tinha duas filhasFabio Gonçalves / Agência O Dia

A assalto aconteceu próximo ao número 743. Engenheiro da Petrobras, ele foi socorrido por policiais do 3º BPM (Méier) e levado para o Hospital Municpal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo. Ele foi abordado por dois homens em uma moto e atingido por um tiro dentro do próprio carro, enquanto seguia para o trabalho.

Morador de Vila Valqueire, na Zona Oeste, Marcelo era casado e tinha duas filhas. Antes de ir para o trabalho, no Centro, ele deixou as adolescentes de 13 e 15 anos no colégio. Depois, seguiu pela Avenida Marechal Rondon, onde foi abordado por dois criminosos em uma moto. Ele tentou fugir e acabou sendo baleado.

O irmão da vítima, Gustavo Magalhães, resumiu em poucas palavras o sentimento dos familiares: "Estamos estraçalhados". O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios (DH) da Capital que já realizaram uma perícia no veículo. Os policiais estão procurando imagens de câmeras de segurança na região para análise. Outros procedimentos estão em andamento para apurar o crime.

Moradores relatam que a violência aumentou na região. “Apesar de haver UPPs no Complexo do Lins e no Morro do São João, os assaltos aumentaram demais. Eu e meu marido evitamos passar pela Marechal Rondon, de carro. Eu evito andar a pé pelo bairro e falar ao celular na rua. Aqui é uma área que tem pouco policiamento. A Marechal Rondon é totalmente deserta, e muitos moradores estão vendendo seus imóveis”, disse a moradora Adriana Carvalho.

Segundo o Instituto de Segurança Pública (ISP), o roubo de veículos aumentou de 2013 para 2014 na região do Grande Méier. De janeiro a junho de 2013 foram registrados 661 casos. Já em 2014, em igual período, foram 813 ocorrências.

Últimas de Rio De Janeiro