Por paloma.savedra

Rio - A Secretaria Especial de Ordem Pública (Seop) estourou nesta quarta-feira um depósito de ambulantes, localizado no Centro Histórico do Rio, na Rua Primeiro de Março, e que armazenava irregularmente mais de 40 botijões de gás. No local, os agentes encontraram materiais de vendedores como carrocinhas, burrinho sem rabo, isopores, além de produtos servidos nas ruas misturados à sujeira e esgoto. A Vigilância Sanitária também esteve no local, e, segundo o órgão, eram insalubres as condições de armazenamento de alimentos perecíveis (mortadela, queijo e sanduíches).

O dono do estabelecimento, Célio Fernandes de Lima, inspetor aposentado da Polícia Civil, foi detido pelo estoque dos botijões e levado para 1ª DP (Praça Mauá). O depósito foi interditado por fiscais de Atividades Econômicas e pela Vigilância Sanitária. A Defesa Civil também esteve no local e interditou o imóvel pela falta de condições de utilização, devido ao

Agentes da Seop%2C Vigilância Sanitária e guardas municipais encontraram alimentos armazenados em condições insalubres no depósito de vendedores ambulantesDivulgação

Até o momento, os agentes da Ordem Pública apreenderam no depósito 37 carroças, 28 burros sem rabo, 12 isopores, nove barracas de ambulante, nove carrocinhas de coco, além de 50 kg de doces e 400 produtos eletrônicos. Nove caminhões, com 45 toneladas de carroças e lixo, foram retirados do local.

"Em menos de um mês, a Prefeitura do Rio, através da secretaria de Ordem Pública, estourou oito depósitos clandestinos na cidade através do trabalho realizado pela inteligência do órgão. O depósito estourado
hoje tinha o agravante de armazenar dezenas de botijões de gás, colocando em risco à população. Não vamos tolerar essa ilegalidade", declarou o subsecretário de Ordem Pública, Marcelo Maywald.

Participam da fiscalização agentes da Coordenação de Controle Urbano e Fiscais de Atividades Econômicas da Seop, guardas municipais, com o apoio da Comlurb, da Vigilância Sanitária, da Defesa Civil, do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar.

Você pode gostar