Por thiago.antunes

Rio - Acostumados a passar o dia de trabalho escutando o ruído das máquinas de solda e britadeira, operários da Linha 4 do metrô voltaram para a casa nesta quinta-feira com uma sensação diferente. Ao fim do expediente, eles assistiram na Praça Antero de Quental, no Leblon, a uma apresentação exclusiva da orquestra da Academia Jovem Concertante, que percorre o Brasil levando música erudita a espaços inusitados.

Na Praça Antero de Quental%2C no Leblon%2C concerto para os operáriosPaulo Araújo / Agência O Dia

O soldador Lucas Alves, de 23 anos, foi um dos primeiros a puxar o coro de “mais um” após o último acorde. “Só tinha visto pela TV. Todo mundo gostou e ganhou um pouco mais de cultura”, disse. Para Ricardo Henrique, 39, foi um momento de leveza depois de um dia inteiro carregando carga. “Estou em êxtase. Lavou a nossa alma”, afirmou. “É como a eloquência do silêncio, inexplicável”, disse, inspirado.

Criado no Morro da Mangueira, o violonista Nathan Amaral, 19, está acostumado a tocar para públicos diferentes. “São compreensivos, gostam de novidade”, disse. “Sair um pouco da realidade pode mudar a vida de alguém”, afirmou.

Você pode gostar