Por thiago.antunes

Rio - O Tribunal de Contas do Município do Rio vai investigar contratos fechados nos últimos quatro anos pela Câmara de Vereadores. O TCM acusa Kelly Vieira de Melo Teixeira, moradora da periferia de Duque de Caxias, de ser responsável por um contrato de mais de R$ 2 milhões com a Câmara, assinado pelo vereador Jorge Felippe, presidente da Casa. As informações foram veiculadas no ‘RJ TV’.

Kelly foi sócia de duas empresas que recentemente tiveram contratos milionários com a Câmara Municipal: a SCMM Serviços de Limpeza e Conservação e a Space 2000, braços da Locanty, que doou R$ 50 mil para a campanha de Rodrigo Bethlem, ex-genro de Jorge Fellipe (PMDB).

Por meio de nota, a assessoria da Câmara informou que a empresa SCMM participou de concorrência pública onde foram estritamente observadas todas as regras constitucionais e legais. “A Câmara tomará todas as providências, podendo até mesmo cancelar o contrato”, disse Jorge Felippe, que pleiteia um cargo de conselheiro no TCM.

“O mais correto seria ele (Jorge Felippe) se afastar da presidência”, comenta o vereador Jimmy Pereira (PRTB). Para a vereadora Teresa Bergher (PSDB), a situação é ‘muito grave, e os fatos têm que ser apurados’.

Você pode gostar