'Apelo que entreguem meu filho', diz pai de bebê sequestrado em Campo Grande

Polícia já tem o retrato falado de adolescente que se passou por agente artística para levar criança de 16 dias

Por O Dia

Rio - A mãe, a cunhada e a avó do menino Kaizo, sequestrado por uma adolescente no Centro de Campo Grande, na tarde de terça-feira, fizeram o retrato falado da sequestradora na Cidade da Polícia, no Jacarezinho, Zona Norte do Rio, nesta quarta-feira. Muito abalado, o ajudante de pedreiro Rafael dos Reis, pai do menino, falou sobre o caso.

Pai pediu que sequestradora devolvesse seu bebêDivulgação

"Faço um apelo para que entreguem meu filho. Não sei se o abandonaram em algum lugar, mas quero ele de volta. Essas 24h têm sido terríveis, um pesadelo. Estou fraco, passo mal e não sei o que fazer. É hora de pedir forças a Deus, pois nunca passei por isso. A mãe dele nunca venderia meu filho. Ela recebeu uma proposta para que ele atuasse em novela. Pensávamos que ele pudesse ter uma carreira. E deu no que deu", disse, entre lágrimas.

Sequestradora identificada

A Polícia Civil do Rio já identificou a jovem acusada de se passar por uma falsa agente artística e de roubar o bebê de 16 dias da mãe de 17 anos, no Centro de Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, na tarde de terça-feira. Policiais da 35ª DP (Campo Grande) já realizaram diligências em busca da menor. Ela não teve o nome divulgado e ainda não foi localizada. A família faz plantão na delegacia a espera das prisões e de informações sobre o paradeiro do recém-nascido.

A criança foi sequestrada na tarde de terça-feira%2C em Campo Grande. Policiais da 34ªDP (Bangu) estão procurando uma adolescente e uma mulher acusadas do crimeEstefan Radovicz / Agência O Dia

Uma mulher de cerca de 35 anos, que estava com a falsa agente e fugiu pelas ruas do bairro com o neném no colo, ainda não foi identificada. Imagens do circuito de segurança do Calçadão de Campo Grande, divulgadas pela delegacia, mostram as quatro juntas passando e entrando na lanchonete onde a criança foi sequestrada. A loura acusada já está com a criança no colo. O vídeo, no entanto, não mostra o momento da fuga.

De acordo com a mãe do pequeno Kaizo, C., 17, a morena de cabelos castanhos a abordou no calçadão de Campo Grande na última quinta-feira, quando ela e a avó do bebê, Kátia Maria Augusto, 48, iriam registrar a criança no cartório, o que acabou não ocorrendo. A suspeita elogiou a beleza da criança e demonstrou interesse que ela levasse o filho para participar de um evento artístico, cuja gravação ocorreria num teatro de Campo Grande, onde receberia R$ 150. Desde então, a suspeita passou a ligar diária e insistentemente para a jovem com o intuito de convencê-la.

Mesmo desaconselhada pela mãe, o padastro e pelo pai do bebê, Rafael Reis Rocha, 20, C., disse que acabou aceitando marcar um encontro com a suposta agente, já que teria que ir ao Centro de Campo Grande com a cunhada na tarde de terça-feira. Na última ligação, a acusada teria feito uma proposta para a atuação do bebê no seriado ‘A Grande Família’, como filho da personagem ‘Bebel’, interpretada pela atriz Guta Stresser. O valor dobraria para R$ 300.


No vídeo acima, uma das sequestradoras (mulher loira que está com o bebê), é seguida pela mãe da criança. Outra suspeita do crime, de roupa preta, também entra no restaurante com elas.

Além do bebê, as suspeitas levaram ainda a Declaração de Nascido Vivo (DNV), fornecida aos pais dos recém-nascidos pelas respectivas maternidades e hospitais, e que deve ser apresentada em cartório para a emissão da Certidão de Nascimento. De acordo com a delegada adjunta da 35ª DP, Lúcia Baptista, a polícia usará todos os recursos legais e operacionais para chegar ao paradeiro das acusadas e para achar o bebê. Ela apela para a urgência na localização da criança e pede a colaboração da população.

"O bebê precisa ser amamentado e cuidado pela mãe. Por isso, temos urgência em localizá-lo. Apelamos para as pessoas que tenham algum tipo de conhecimento do fato e que, de alguma forma ajudaram as suspeitas, mas desconheciam que a criança tenha sido sequestrada, que colaborem com a polícia", apelou Lúcia Baptista.

Por volta das 14h, a mãe do bebê e cunhada se encontraram no Mercado São Braz, no Calçadão de Campo Grande, com a falsa agente e uma mulher loura de 35 anos não identificada, que segundo ela aparentava estar grávida. Após fechar o acordo e aguardar por mais de uma hora por uma suposta Kombi que a levaria ao teatro, a mãe do bebê teve uma tontura. Ela entregou o filho para a mulher e todos pararam em uma lanchonete para descansar. No local, quando assinava o suposto contrato, a acusada iniciou a fuga. As duas desapareceram com a criança fugindo pelas ruas do bairro. Segundo um pedestre, ambas teriam embarcado em um ônibus.

"Não desconfiei, apesar de ter sido alertada por três pessoas da minha família. Não aceitei a proposta pelo dinheiro. Pensei: 'vai que meu filho já começa na vida crescendo como artista'. Aprendi uma grande lição com essa história. Estou arrependida. Quero meu filho de volta", disse a mãe na delegacia durante a madrugada, onde estava de plantão desde às 16h30, quando foi registrar queixa de sequestro.

Últimas de Rio De Janeiro