PM reformado reage a assalto e mata dois ladrões em ônibus no Flamengo

Um terceiro ladrão ficou ferido no coletivo da linha 132 (Central-Leblon) que passava pelo Aterro do Flamengo

Por O Dia

Rio - Dois homens morreram baleados e um terceiro ficou ferido depois que um policial militar reformado, armado com uma pistola, reagiu a uma suposta tentativa de assalto dentro do ônibus 132 (Central-Alto Leblon), da Viação Real, na tarde desta quarta-feira, no Aterro do Flamengo, na Zona Sul. De acordo com testemunhas, os três suspeitos embarcaram na Avenida Rio Branco, onde também embarcou o policial. Todos se sentaram na última fileira do veículo.

“Na altura da Rua Buarque de Macedo, no Catete, já no Aterro, sentido Zona Sul, ouvi uma rápida discussão e, em seguida, pelo menos uns dez tiros. Os cerca de 30 passageiros entraram em pânico. Me joguei no chão e 500 metros a frente o motorista conseguiu parar o ônibus”, contou a trocadora J., de 67 anos.

Um dos suspeitos, armado com um revólver 38, morreu sentado no banco em que estava. O segundo, baleado, pulou a roleta, desceu do veículo pela janela do motorista, cruzou a pista e caiu morto pouco adiante. O terceiro, também ferido a bala, foi levado para o Hospital Rocha Maia, em Botafogo. O PM reformado levou um tiro de raspão no braço e foi internado, sem risco de morte, no Hospital Central da PM, no Estácio.

Curiosos observam a remoção dos corpos dos ladrões mortosReprodução Vídeo

Agentes da 10ª DP (Botafogo) estão levantando a identidade dos envolvidos. “Foram momentos de muito desespero. Assim como eu, várias pessoas se jogaram no assoalho do ônibus com medo de balas perdidas. Os vidros da lateral esquerda nos fundos do ônibus foram estilhaçados e marcas dos projetis ficaram nos bancos e lataria. Ninguém ouviu nenhum anúncio de assalto”, contou o estudante de engenharia M. , de 25 anos.

As imagens da câmera do veículo, que teriam captado toda a ação, foram enviadas para perícia no Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE). Segundo o comando do Batalhão de Botafogo (2º BPM), nenhum outro passageiro ficou ferido. O trânsito ficou lento em toda a orla entre 13h30 e 16h.

Perícia recolheu evidências no ônibus assaltadoReprodução Vídeo

Motorista elogiado por passageiros

O motorista do coletivo da Viação Real, que trabalha na empresa há 15 anos e pediu para não ser identificado, com medo de represálias, recebeu elogios de passageiros. “As pessoas gritavam para ele abrir as portas. Mas ele manteve a calma, mesmo dirigindo abaixado, com o rosto colado ao volante, até parar em local seguro”, detalhou o estudante de engenharia Marcelo Silva, de 28 anos.

“Foram momentos tensos, mas eu não podia abrir as portas, pois certamente alguém, desesperado, poderia pular e ser atropelado”, justificou o condutor, mostrando a camisa suja de sangue do suspeito que pulou a janela a seu lado e morreu em seguida. Ele denunciou que assaltos em ônibus naquele trecho têm se tornado constantes.

Estatísticas do Instituto de Segurança Pública (ISP) revelam que, de janeiro a julho deste ano, foram registrados 73 ações de ladrões neste tipo de crime na área do 2º BPM (Botafogo), responsável pelo patrulhamento ostensivo em sete bairros, incluindo o Flamengo. Oito a mais que no mesmo período do ano passado.

Últimas de Rio De Janeiro