Mega-esquema garante transferência de integrantes da Liga da Justiça

Core apoiou ação que transferiu os seis suspeitos de fazer parte da milícia, evitando ataques à delegacia de Nova Iguaçu

Por O Dia

Rio - A Polícia Civil montou um mega-esquema de segurança para transferir, no início da madrugada deste sábado, seis suspeitos de integrarem a milícia Liga da Justiça da 56ª DP (Comendador Soares) para a Cidade da Polícia, no Jacarezinho. Havia o temor de que a delegacia de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, pudesse ser atacada para liberar os presos.

Na ação que resultou na detenção deles, na madrugada de sexta-feira, PMs do Batalhão de Choque mataram Raphael Rômulo Barreiros do Nascimento, de 32 anos, sobrinho do miliciano Ricardo Teixeira da Cruz, o Batman, um dos chefes da Liga da Justiça, conforme O DIA antecipou na edição deste sábado.

Para transferir o bando, considerado de alta periculosidade, a Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil foi mobilizada. Com a quadrilha foram apreendidas cinco pistolas, além de dois fuzis, uma submetralhadora, uma granada, um revólver, dez celulares, um radiotransmissor, munição de diversos calibres e uma quantidade de dinheiro.

Foram transferidos Hilton Fábio dos Santos de Oliveira Precher, de 26 anos; Wallace Araújo das Neves, de 27; Bruno Caetano Campos, de 22; George da Silva Soares, de 24; Jefferson Santana Pereira da Cruz, de 27; e Paulo Sérgio Paula de Lima, de 30.

Últimas de Rio De Janeiro