Dilma lamenta morte de comandante de UPP e elogia alinhamento de governos

Presidenta diz manifestar 'imenso pesar' e afirma que forças de segurança não irão desistir e que irão continuar luta

Por nicolas.satriano

Rio - A presidenta da república, Dilma Rousseff, em visita ao Rio nesta sexta-feira, lembrou a morte do comandante da UPP Nova Brasília, capitão Uanderson Manoel da Silva, morto a tiros durante confronto com bandidos no Complexo do Alemão, na noite desta quinta-feira. Ela se reuniu com lideranças no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR), na Avenida Brasil.

Dilma manifestou "imenso pesar" pela morte do policial militar e assinou termo de permanência de tropas do exército no Complexo da Maré até dezembro deste ano. Além da morte do capitão Uanderson, a presidenta homenageou os outros PMs mortos em exercício da profissão.

SAIBA: Comandante da UPP Nova Brasília morre após ser baleado no Alemão

"Nunca vamos desistir. Vamos continuar. Ele (Uanderson) faz parte desse esforço para que tenhamos uma segurança pública de maior qualidade", sublinhou Dilma.

A presidenta deu destaque, ainda, ao alinhamento dos governos federal e estadual no combate à violência e elogiou a posição do Rio de Janeiro como pioneiro nesta união. Dilma também disse que pretende levar o modelo carioca para outros estados da federação e falou que se sente orgulhosa de ter feito parte da reintegração dessas regiões antes dominadas pelo tráfico. A presidenta defendeu a posição do governo federal como um membro atuante e não um simples "repassador de fundos".

VEJA: 'Que vida que a gente escolheu', diz PM após morte de comandante de UPP

O prefeito Eduardo Paes foi responsável por dar um tom eleitoral ao dia seguinte à morte do comandante da UPP, Uanderson Manoel da Silva: "No momento eleitoral, as forças do mal nos desafiam e assanham, e veem nisso oportunidade".

Crianças "quebram" segurança presidencial

Seguindo a agenda, Dilma fez uma visita acompanhada por Eduardo Paes, também nesta sexta à tarde, ao canteiro de obras do campus educacional da Maré, onde estão sendo construídas sete unidades escolares da prefeitura. No entanto, um fato inusitado surpreendeu o protocolo da presidenta. Aproximadamente 50 crianças invadiram o canteiro de obras e "quebraram" a segurança de Dilma. Segundo informações da equipe da presidenta, a invasão não estava prevista.

Em todo o Complexo da Maré, a prefeitura planeja construir mais 19 unidades escolares, com um investimento total estimado em R$ 236 milhões

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia