Por thiago.antunes

Rio - Com a implantação do BRT Transolímpica, prevista para o primeiro semestre de 2016, a Prefeitura do Rio planeja criar uma nova rota viária, ligando Deodoro até a Alvorada, na Barra da Tijuca. O itinerário utilizará trechos do BRT Transcarioca, a partir de Curicica. Nesta terça-feira, o prefeito Eduardo Paes visitou as obras do túnel Engenho Velho, em Sulacap, que fará parte do BRT Transolímpica.

Os 26 quilômetros do novo corredor expresso ligarão Deodoro, no Complexo Esportivo, até o Parque Olímpico do Rio, no Recreio. De acordo com o engenheiro da Secretaria Municipal de Obras Eduardo Fagundes, responsável pelos projetos dos BRTs, com o funcionamento do Transolímpica, várias rotas de viagens poderão ser criadas.

“Há pontos de ligação entre o Transolímpica e o Transcarioca, em Curicica e na Rua Salvador Allende, que podem beneficiar várias rotas. Ou seja, o ônibus articulado que vem de Deodoro pode seguir para a Barra usando a canaleta da Transcarioca e vice-versa”, explicou o engenheiro. Em nota, a Secretaria Municipal de Transportes confirmou que há o planejamento de ligar Deodoro à Barra sem baldeação.

O túnel Engenho Velho%2C em Sulacap%2C fará parte do BRT Transolímpica%3A ele recebeu a visita de Paes ontemFabio Gonçalves / Agência O Dia

As obras do Transolímpica estão 30% concluídas. O primeiro túnel do novo BRT, o Engenho Velho, que começou a ser perfurado em novembro passado, já está com 210 metros abertos. As obras na Estrada do Catonho prosseguem por mais sete meses. Ao todo, 600 mil quilos de explosivos serão utilizados para dar lugar a 1.300 metros de pistas. Já o segundo túnel, na Estrada da Boiúna, com duas galerias, terá 200 metros — atualmente tem 80 metros escavados .

Nesta terça-feira, o prefeito esteve no canteiro de obras no túnel do Catonho para uma vistoria. “A importância do Transolímpica é um compromisso olímpico, mas será muito mais importante para população da Zona Oeste,que enfrenta um suplício diário para chegar até o Recreio. Com o BRT, as viagens serão reduzidas em 80%”, apontou o prefeito.

quinas abrem caminho para a implantação do corredor Transolímpica%2C que ligará Deodoro à BarraJosé Pedro Monteiro / Agência O Dia

A previsão é de que 55 mil veículos por dia circulem pelo corredor, podendo chegar a 90 mil, sem necessidade de obra ou projeto de ampliação. Por ser uma via expressa e de concessão, o novo BRT terá pedágio, cujo valor será sempre o mesmo ao praticado na Linha Amarela, atualmente tarifado em R$ 5,50 para carros e R$ 2 para motos. A praça do pedágio ficará logo na entrada do novo túnel.

Indenização de R$ 100 mi

A indenização ao Exército para construção de viadutos da Transolímpica, em Magalhães Bastos, custará aos cofres públicos R$ 100 milhões. A compra do terreno do Quartel da Polícia do Exército, que abriga 500 homens, custará R$ 25 milhões. “Também vamos ter que indenizar em mais R$ 75 milhões, os equipamentos que estamos destruindo”, confirmou Paes. Os equipamentos incluem parte do centro de hipismo, próximo à Vila Militar.

A preferência pela negociação com o Exército permitiu que a prefeitura reduzisse de 300 para seis as desapropriações no bairro. Duas casas e quatro comércios já foram retirados da região. Para a criação da Transolímpica, 257 desapropriações foram feitas no total.

Na Colônia Juliano Moreira, na Taquara, em vez de derrubar 784 casas, a prefeitura optou pela supressão de 19 hectares de vegetação. No bairro, apenas 257 residências serão desapropriadas. Entre os moradores, a falta de informação sobre o projeto é a principal reclamação. “Há um canteiro enorme de obras em frente à minha casa, mas não dizem por onde o viaduto vai passar”, apontou a dona de casa Marlene Brito, de 62 anos. A Secretaria de Obras informou que os moradores podem recorrer aos postos do BRT, na Taquara e em Sulacap, para esclarecer dúvidas.

Você pode gostar