Trio suspeito de estar envolvido em ataque na Maré é preso no Caju

Traficantes foram capturados com fuzis por policiais da UPP local e do 4º BPM

Por O Dia

Rio - Policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Caju e do 4º BPM (São Cristóvão) prenderam, na tarde desta quarta-feira, três suspeitos de participar do ataque ao Complexo da Maré, Zona Norte do Rio, de manhã. A informação foi confirmada pela Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP). Os PMs da UPP foram acionados pela equipe de segurança de uma empresa, na Região Portuária, para verificar imagens do circuito interno de TV onde criminoso eram vistos entrando no interior da empresa

Após buscas, os três homens foram presos em flagrante dentro de uma carreta, no pátio da empresa. Eles haviam rendido o motorista com o objetivo de fugir do local. Os bandidos estavam armados com dois fuzis e duas pistolas. apura o envolvimento deles no ataque ao Complexo da Maré. A prática de invadir empresas no trecho da Avenida Brasil. Um vídeo que mostra os traficantes entrando no mesmo local foi divulgado nesta quarta-feira. Nas imagens, eles chegam a pegar cigarros de um dos trabalhadores.

O Grupamento Aeromóvel (GAM), o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e o Batalhão de Policiamento de Choque (BPChoque) foram chamados para realizar busca no mangue do Canal do Cunha, em outras empresas da Zona Portuária e nas comunidades atendidas pela UPP Caju com o objetivo de verificar a presença de outros criminosos na região. O caso foi registrado na 17ª DP (São Cristóvão).

Exército fechou a Avenida Brasil

Traficantes do Comando Vermelho e do Terceiro Comando estão em confronto na tarde desta quarta-feira na Avenida Brasil, na altura da Fiocruz. De acordo com agentes do Batalhão de Policiamento de Vias Especiais (BPVE), traficantes tentam invadir a FioCruz pelo canal ao lado da instituição. O Exército ocupou com tanques as pistas para conter o confronto entre as facções.

Tiroteio fechou Avenida Brasil. Tanques do Exército ocuparam as pistasSandro Vox / Agência O Dia

De acordo com a Força de Pacificação, o tiroteio durou cerca de 20 minutos. Por volta das 15h30 o trânsito estava liberado em todos os sentidos, mas às 16h15, com a chegada de agentes do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) um novo tiroteio começou na Vila do João, no Complexo da Maré.

Motoristas deram marcha à ré, tentando voltar pela contra-mão. Os funcionários da Fiocruz foram liberados mais cedo, às 16h, em razão do confronto. Em comunicado, a Fiocruz negou a tentativa de invasão. Militares da Força de Pacificação vasculham o entorno da instituição em busca de criminosos

Em plena Avenida Brasil%2C motoristas fugiram pela contra-mão do confronto entre traficantesReprodução

Confronto deixou mais de 12 mil sem aulas

Por conta de operações nos complexos da Maré, Penha e Alemão, a assessoria da Secretaria Municipal de Educação informou que, na Maré, 11 escolas, três creches e dois Espaços de Desenvolvimento Infantil (EDIs) não funcionaram nos três turnos, deixando 8.283 alunos sem as atividades. Na Vila Cruzeiro, quatro escolas, uma creche e um EDI foram fechados. Neste caso, 3.125 estudantes não tiveram aulas.

Já no Alemão, duas escolas não abriram; 1.308 alunos não tiveram aulas. No total, 12.716 foram prejudicados. Em contraposição, a Secretaria Estadual de Educação afirma que nenhuma de suas unidades teve o funcionamento interrompido.

Homens da Força de Segurança e policiais militares realizaram operações nesta quarta-feira nos complexos da Maré%2C Penha e AlemãoFoto%3A Severino Silva / Agência O Dia

No Complexo da Maré, após um intenso tiroteio, militares da Força de Pacificação fizeram uma operação na região e encontram o corpo de um jovem, de aproximadamente 18 anos, ainda não identificado, na localidade do Conjunto Esperança. Há suspeitas de que ele seria um criminoso. Também houve tiroteio na Vila do João, onde o confronto aconteceu até às 6h.

Por causa do confronto, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da região ficou fechada por um determinado tempo. Agentes da Divisão de Homicídios da Capital (DH) investigam o caso. O trânsito na região enfrentou reflexos devido ao confronto. Temerosos com os tiros, os motoristas que trafegavam pelas Linhas vermelha e amarela diminuíram a velocidade do veículo e enfrentaram engarrafamentos. Em nota oficial, os militares afirmaram que a segurança na Maré está reforçada após os confrontos.

Homens da Força de Segurança e policiais militares realizaram operações nesta quarta-feira nos complexos da Maré%2C Penha e AlemãoFoto%3A Severino Silva / Agência O Dia

Criminosos ordenam que comércio na Vila Cruzeiro seja fechado

Na Penha, no início desta madrugada, policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), trocaram tiros com grupo de sete traficantes da favela da Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, também na Zona Norte. Pelo menos quatro deles estavam armados e após ser baleado, um suspeito acabou morrendo ao dar entrada no Hospital Estadual Getúlio Vargas.

Com isso, traficantes ordenaram o fechamento do comércio em toda a área da Vila Cruzeiro. Apesar do reforço policial, o clima está tenso e moradores temem tiroteios e balas perdidas. Durante a operação, os agentes apreenderam mais de 1.200 trouxinhas de maconha, 208 papelotes de cocaína, uma pistola, granada e farta munição de vários calibres. O caso foi registrado na 22ªDP (Penha).

Material apreendido pelo Bope na Vila Cruzeiro foi encaminhado para a 22ªDP (Penha)Osvaldo Praddo / Agência O Dia

Já no Complexo do Alemão, policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília foram recebidos a tiros por traficantes na localidade conhecida como Prédios Novos, por volta das 9h desta quarta-feira. De acordo com a assessoria da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), os PMs revidaram, mas não houve feridos. Os criminosos conseguiram fugir. O caso será registrado na 45ªDP (Alemão).

Também no início desta madrugada, policiais e traficantes trocaram tiros na Rua Nova Brasília, mas não houve registro de feridos ou presos.


Últimas de Rio De Janeiro