Polícia Militar começa operação para as eleições com 30 mil homens nas ruas

Objetivo é garantir a segurança em todo o estado durante o período eleitoral

Por O Dia

Rio - Policiais militares de diversos batalhões começaram na manhã desta sexta-feira o patrulhamento especial para as eleições. A antecipação aconteceu por conta dos episódios de violência da última quarta-feira, em diversos pontos do Rio e Niterói. De acordo com o relações públicas da PM, tenente-coronel Cláudio Costa, serão cerca de 30 mil homens fazendo a segurança nas ruas. Para esse esquema, férias e folgas foram cortadas.

GALERIA: Policiais militares iniciam patrulhamento para as eleições 

"A Polícia Militar está antecipando suas ações que começariam amanhã, às 14h, para agora. Nós teremos ao longo do final de semana em torno de 30 mil policiais militares nas ruas, voltados exclusivamente para as eleições", diz. "Teremos em torno de 15 mil policiais nos locais de votação, nas guardas das urnas e também apoiando o TRE na fiscalização", completou.

Cerca de 30 mil PMs realizarão a segurança em todo o estado durante o período eleitoralCacau Fernandes / Agência O Dia

O tenente-coronel evitou dar detalhes das operações que serão realizadas pela PM nos próximos dias e que terão o apoio de dois helicópteros, sendo um com câmera conectada com o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC). "Nós estaremos em várias áreas da cidade, mas por questão de planejamento nós não divulgamos os locais. Mas são locais estratégicos para a polícia, para a nossa cidade, de forma que as tropas especiais possam fazer esse deslocamento de forma rápida para todos os locais".

Sobre o Complexo da Maré, região que vem registrando inúmeros casos de violência nos últimos dias, Claudio Costa afirmou que a Polícia Militar só vai atuar no local caso haja uma solicitação da Força de Pacificação, que faz a segurança da comunidade desde o final de março.

"A Força de Pacificação já está nessa área (Maré) há alguns meses. O Batalhão de Choque apoiou nessa semana numa ação pontual. Se houver necessidade, um pedido das Forças de Segurança, estaremos a disposição para apoiar".

Últimas de Rio De Janeiro