Por bianca.lobianco

Rio -Desconhecido antes da campanha eleitoral, o petropolitano Tarcísio Motta, professor do Colégio Pedro II, virou queridinho de parcelas da população fluminense. Com 6% das intenções de voto segundo o Datafolha divulgado ontem, o vascaíno do Psol é o segundo colocado em fatias de setores do eleitorado que, no Rio, costumavam votar no PT. Ele perde apenas para Pezão entre cidadãos com curso superior (tem 15% das preferências) e com renda familiar maior que dez salários mínimos (também 15%).

Ex-petistas
Eleitores de até 24 anos o colocam em terceiro lugar, ao lado de Crivella e Lindberg. Na capital, Motta tem 10%: empate técnico com Garotinho (12%) e Lindberg (11%). Em 2010, Jefferson Moura, candidato do Psol ao governo, recebeu 1,67 dos votos.

Fada desbocada 
A fantasia rosa que Motta usou num Carnaval era, digamos, de fada. Convidados a apadrinhar um casamento, ele e outros homens foram de “f*das madrinhas”.

Indenização
A 8ª Câmara Cível confirmou sentença que condenou o estado a pagar indenização de R$ 100 mil à mãe de Rubineu Nobre. Em 2007, ele foi agredido com um tapa pelo cabo André Luiz da Fonseca: ao reclamar, acabou assassinado pelo PM, condenado a sete anos de prisão.


Você pode gostar