Por thiago.antunes

Rio - O PT irá dividido para o segundo turno da eleição no Estado do Rio. Presidente regional do partido e prefeito de Maricá, Washington Quaquá quer anunciar hoje, depois de ouvir a executiva petista, a opção por Marcelo Crivella — o senador do PRB também terá o apoio de Lindberg Farias.

Mas o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, diz que ficará com Pezão. Dos dez prefeitos do PT no estado, nove deverão fechar com o peemedebista (a exceção é Quaquá). O Informe apurou que, dos cinco deputados federais eleitos pelo PT, quatro tendem a ficar com Pezão (Alessandro Molon deverá ficar neutro).

A bancada de deputados estaduais será composta por seis petistas: entre eles, apenas Rosângela Zeidan, mulher de Quaquá, prefere Crivella. O presidente do PT-RJ diz que, tomada a decisão, não admitirá dissidência: ameaça levar à comissão de ética quem não apoiar o senador do PRB.

Lula e Crivella

Muitos petistas apostam que Lula, apesar de sua amizade por Pezão, tende a apoiar Crivella.

Apoio petista

Políticos ligados a Pezão atribuem a derrota de Garotinho a uma suposta decisão do PT de determinar que parte de seus simpatizantes votasse em Crivella. Na sexta, Quaquá tentou organizar um ato conjunto dos dois candidatos, mas a iniciativa foi vetada por Lindberg.

Briga restrita

Pezão afirma que não vê problema em enfrentar Crivella. “O que vier, a gente encara. Pelo menos, agora vou tomar porrada apenas de um.” Hoje, ele se reunirá com prefeitos da Baixada para discutir o segundo turno.

Os que não votaram

Somados votos nulos (14,49%), brancos (9,33% ) e abstenções (20,11%), 43,93% dos eleitores do Rio não votaram para senador. Para governador, o índice foi de 37,67%.

Você pode gostar