Por thiago.antunes

Rio - Os bombeiros do 2º GBM (Méier), que participaram do socorro às vitimas após a queda de uma passarela da Linha Amarela, no dia 28 de janeiro, foram indicados para concorrer entre os melhores trabalhos de equipes de resgate do mundo, através da medalha Conrad Dietrich Magirus Award.

Para disputar o prêmio, uma equipe de jurados selecionou outras nove operações ao redor do mundo. Entre os salvamentos que concorrem, há um feito durante incêndio de grandes proporções em Marselha, na França, causado por uma ruptura de duto de gás, e outro em uma das maiores queimadas florestais da história da Áustria.

À frente da operação em janeiro, o comandante do quartel do Méier, coronel Demétrio Saldanha, está confiante na vitória. “O nosso resgate foi o de maior complexidade entre os concorrentes. Diferente das outras, nossas equipes tiveram que atuar em três pontos diferentes de socorro a um tempo curto”, disse. O oficial também ressaltou a preparação dos oficiais: “Treinamento excessivo, frieza e o mais importante: botar a nossa vida em função de salvar o outro”, afirmou.

O vencedor do prêmio será selecionado por meio de uma votação eletrônica, que está sendo divulgada no site do Corpo de Bombeiros do Rio. Os vencedores receberão uma viagem de quatro dias a Nova York para conhecer o centro de treinamento dos bombeiros da cidade.

No dia do acidente, após uma carreta derrubar a passarela, os bombeiros do 2º GBM (Méier) chegaram ao local em 7 minutos. Na ocasião, cinco pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas. Parte dos feridos estava em cima da passarela e caiu sob a via e dentro do córrego que divide as pistas. Outras vítimas estavam em carros que foram esmagados com a queda da estrutura.

Você pode gostar