Série do DIA será finalista do Prêmio Libero Badaró

Torturador da ditadura confessou o crime. As matérias são de autoria da repórter Juliana Dal Piva

Por O Dia

Rio - A série de reportagens publicadas em O DIA sobre o coronel Paulo Malhães, que torturou vítimas do regime militar brasileiro, foi indicada como finalista do 11º Prêmio Líbero Badaró de Jornalismo. As matérias são de autoria da repórter Juliana Dal Piva. Além da série ‘Revelações do Coronel Malhães’, outras quatro reportagens estarão disputando o prêmio na categoria Jornalismo Impresso. O vencedor será anunciado no dia 24 de novembro, em São Paulo.

As matérias revelaram detalhes da tortura praticada durante o governo militar. Em entrevista ao DIA, Malhães confirmou ter ajudado a desenterrar a ossada do deputado federal cassado Rubens Paiva, desaparecido em 1971. Na série, Malhães também confessou ter decepado os dedos e retirado arcadas dentárias de cadáveres que ocultou na Casa da Morte, de Petrópolis.

Um mês depois das revelações, Malhães foi assassinado. Poucos dias depois, a viúva do coronel revelou em entrevista exclusiva ao DIA que ele mentiu à Comissão Nacional da Verdade, quando negou a participação na operação que ocultou para sempre os restos de Rubens Paiva. Ela disse, ainda, que o corpo foi jogado em um rio.

O Prêmio Líbero Badaró é uma iniciativa da revista e do portal Imprensa, com apoio da Câmara Municipal de São Paulo e de associações ligadas à liberdade de imprensa. A série “Revelações do Coronel Malhães”, feita por Juliana Dal Piva, recebeu menção honrosa do Prêmio Vladimir Herzog de Jornalismo.

Últimas de Rio De Janeiro