Por paloma.savedra

Rio - A tragédia familiar envolvendo uma mãe em depressão que matou o filho de 7 anos e depois se suicidou pode ter sido premeditada. Segundo a polícia, Cristiane Gonçalves, 31 anos, injetou uma substância no filho, e, em seguida, em seu próprio braço. Os corpos dela e da criança foram encontrados pela irmã da mulher, na tarde desta segunda-feira, dentro de casa, na Favela do Rebu, em Senador Camará, Zona Oeste do Rio.

De acordo com as investigações, Cristiane teria ido buscar o menino no colégio, o que não era comum, e o levou para casa. No local, a mulher injetou a substância no filho, e, em seguida, no seu próprio braço. Os policiais encontraram no quarto seringas e dois copos com um líquido branco, ainda não identificado.

A irmã de Cristiane e o marido já prestaram depoimento. E, segundo informações, a família teria encontrado um caderno no quarto da mulher, com o passo a passo do que a biomédica faria. 

Cristiane deixou uma filha de três anos. Os corpos ainda estão no Instituto Médico Legal (IML) e os laudos da perícia - para descobrir as circustâncias do crime e identificar a substância injetada - e o cadavérico devem sair em 30 dias.

Você pode gostar