Por felipe.martins

Rio - Um confronto entre bandidos de facções criminosas rivais deixou uma pessoa morta e duas feridas ao serem baleadas no Morro da Mangueira, Zona Norte do Rio, na noite desta terça-feira. Os feridos foram socorridos no Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro. Dois ônibus também foram incendiados. Segundo a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), não houve ataques a PMs da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) local. O patrulhamento na região foi reforçado e as equipes buscam os envolvidos.

Pelo menos um ônibus foi incendiado na noite desta terça-feira após o tiroteioLeitor

De acordo com a Coordenadoria de Polícia pacificadora (CPP), policiais UPP Mangueira foram chamados por moradores informando que quatro homens saíram armados de uma mata atrás da Quinta da Boa Vista e atiraram contra um grupo que jogava futebol no Campo da Pedreira. Ao chegarem ao local, os agentes encontraram um adolescente já sem vida e dois feridos, sendo um na perna. A vítima fatal foi identificada pela polícia como Caio de Oliveira Ferreira, de 17 anos. Os baleados foram levados pelos PMs para o hospital. Um deles já recebeu alta, de acordo com informações da unidade de saúde.

Segundo os militares, testemunhas disseram que os atiradores fugiram, em seguida, em um veículo pelo alto do Morro da Mangueira em direção à São Cristóvão. O 4º BPM (São Cristóvão) foi acionado e buscas foram feitas na região na tentativa de encontrar os bandidos. A Divisão de Homicídios (DH) da Polícia Civil também foi acionada. A área do crime foi isolada para a realização da perícia. O Grupamento de Intervenções Táticas (GIT) das UPPs reforça o policiamento na comunidade.

Um dos ônibus foi incendiado por volta das 20h30 na Avenida Visconde de Niterói, em frente ao antigo prédio do IBGE. O outro coletivo da linha 622 (Penha-Saens Peña) foi atacado no sentido Méier da Rua São Francisco Xavier, na altura da estação de trens da Mangueira. A pista ficou interditada por cerca de meia hora, segundo o Centro de Operações da Prefeitura do Rio. O dinheiro do caixa do cobrador foi levado pelos criminosos. Ele e o motorista prestaram depoimento na 18ª DP (Praça da Bandeira), onde o caso foi registrado.

Morte de Tuchinha causou instabilidade

Mesmo com a presença de uma UPP, prestes a completar quatro anos, a morte de Francisco Paulo Testas Monteiro, o Tuchinha, no dia 2 de setembro em plena luz do dia na Mangueira, desencadeou uma disputa pelo comando da comunidade, que foi liderada por ele por pelo menos 20 anos. Rumores na região apontam que Tuchinha teria se aliado a líderes de quadrilhas rivais para reassumir o comando do morro.

Outra versão investigada pela polícia é a de que teria ocorrido um racha entre os bandidos do Comando Vermelho (CV). Muitos teriam aderido às rivais Amigos dos Amigos (ADA) e Terceiro Comando Puro (TCP) e estariam tentando assumir o controle das remanescentes bocas-de-fumo na comunidade.

Você pode gostar