Por felipe.martins

Rio - Os cargos ainda não estão definidos, mas os nomes, já. Ao menos sete aliados, entre deputados, ex-prefeitos e técnicos — parte deles, companheiros da época de Piraí — deverão compor o secretariado do novo governo de Pezão.

Homens de confiança direta do governador, Vicente Guedes, o deputado estadual Gustavo Reis Ferreira, o Tutuca (PMDB), Hudson Braga, Vicente Loureiro e Felipe Peixoto (PDT) são tidos como certos na nova composição de governo.

Cotado para a Casa Civil, Guedes, por exemplo, é amigo de longa data de Pezão e foi ex-prefeito de Rio das Flores e Valença, interior do estado. Segundo interlocutores do Palácio Guanabara, ele é um dos seus principais conselheiros, além de ter experiência na articulação política e capacidade de diálogo com o Legislativo.

Guedes atua principalmente nos bastidores e tem bom trânsito com prefeitos. Assim como Pezão, comandou a Associação Estadual de Municípios do Rio (AEMRJ). Outro nome certo é o do deputado estadual Gustavo Reis Ferreira, conhecido como Gustavo Tutuca, que já comandou a Secretaria de Ciência e Tecnologia. De Piraí, ele deixou o cargo para disputar a reeleição na Alerj. Foi reeleito, mas é um dos citados para voltar à secretaria. Com pós-graduação em tecnologia, foi dele a responsabilidade pela coordenação do Projeto Piraí Digital, que é menina dos olhos e motivo de orgulho para Luiz Fernando Pezão, enquanto foi prefeito da cidade. O projeto recebeu prêmios internacionais.

Vicente Guedes (D) deverá ser o novo chefe da Casa Civil de PezãoCarlo Wrede / Agência O Dia

Já Hudson Braga, que tem dito preferir atuar nos bastidores no próximo governo, também é cotado como titular no novo secretariado. Dizem pessoas próximas a ele, no entanto, que sua atuação na Secretaria de Obras — onde foi sub de Pezão — foi desgastante em função de denúncias e pressões políticas. Embora tenha a confiança do governador, diz preferir contribuir informalmente.

Braga atuou com Pezão na reconstrução de cidades serranas após tragédia que matou mais de 900 pessoas, em 2011. Cerca de 200 pessoas estão desaparecidas. Amigo há 20 anos de Pezão, Vicente Loureiro é responsável técnico pela Câmara Metropolitana de Integração Governamental e apontado para a futura Secretaria de Integração. Ainda que não assuma como titular, Loureiro terá a Subsecretaria.Aspásia Camargo (PV) chegou a ter o nome especulado para a pasta.

Do PDT, Felipe Peixoto sacrificou a chance de se reeleger deputado e de ser candidato a vice de Pezão nestas eleições, para facilitar a composição de chapa do então candidato. Pezão não esqueceu a lealdade do trabalhista.

Você pode gostar