Por nicolas.satriano

Rio - O comércio em Parque Proletário e Vila Cruzeiro, na Penha, na Zona Norte, amanheceu fechado na neste domingo por ordem de traficantes. Na noite de sábado, uma equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope), com apoio do Grupamento Tático de Polícia de Proximidade (GTPP) da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da área entrou em confronto com bandidos no complexo de favelas e dois suspeitos foram baleados.

Ambos foram socorridos e encaminhados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, também na Penha. Um não resistiu aos ferimentos e morreu. Márcio Silva de Almeida, de 34 anos, ficou ferido e segue internado na unidade. Passado um tempo, os PMs foram ao socorro de outra vítima da violência da região. Uma mulher foi baleada na perna, na Rua 29, em Parque Proletário, e os agentes a encaminharam para a mesma unidade de saúde.

A partir disso, todo os estabelecimentos comerciais na Estrada José Rucas, uma das principais vias da região, estavam fechados no fim desta manhã. Segundo os comerciantes, a ordem para não abrir veio de homens a pé e outros em motos, que passaram em frente às lojas ordenando que não abrissem.

Mesmo com a presença de viaturas, comerciantes fecharam as portas com medo de ameaças de traficantesDiego Valdevino / Agência O Dia

"Vivemos uma madrugada de inferno e tensão. Fiquei deitado no chão o tempo todo durante a troca de tiros. Hoje pela manhã, ao reabrir a minha barraca de produtos, homens a pé e de moto deram ordem para fechar o comércio. Não sou burro. Obedeci. Mas uma meia dúzia quis se arriscar. É muito perigoso. Apesar da calmaria, no alto do morro é muito perigoso. Nem ônibus está passando aqui", disse um comerciante que, por medo de represálias de bandidos, pediu pra não se identificar.

Algumas linhas de ônibus não estão circulando

Entre os locais fechados estão drogarias, depósitos de bebidas e um supermercado. Apenas três barraquinhas de sacolão, que vendem frutas, ousaram abrir. Duas linhas de ônibus - 313 (Penha - Tiradentes) e 721 (Cascadura - Vila Cruzeiro) - que circulam pela região não funcionaram neste domingo.

Com isso, os moradores ficaram dependentes do transporte alternativo: vans, kombis e mototáxis rodavam normalmente.

Leia: Bope é recebido a tiros em operação no Parque Proletário, na Zona Norte

No fim desta manhã, no entanto, apesar do comércio fechado, o clima em Parque Proletário era de aparente tranquilidade. Apreensivos, moradores relataram que chegaram a ouvir fogos dentro da comunidade, mas, tiroteios, não.

Apesar de aparente tranquilidade%2C no fim desta manhã%2C moradores dizem ter ouvido fogos no interior da comunidadeDiego Valdevino / Agência O Dia

O policiamento na região segue reforçado e agentes do Grupo de Intervenções Táticos da UPP fazem incursões pela área e monitoram o perímetro com o auxílio de binóculos. Além disso, viaturas foram posicionadas na entrada do Parque Proletário e os policiais, durante ronda pela localidade, tiveram que retirar barricadas posicionadas por traficantes. Um sofá chegou a ser colocado pelos bandidos para retardar a ação da polícia.

Noite de tensão

O clima ficou tenso na Penha na noite de sábado, quando equipes do Bope e do Grupamento Tático de Polícia de Proximidade da UPP Parque Proletário estavam em patrulhamento pela Vila Cruzeiro. Ao entrar em um beco na Rua 23, em Vacaria, os policiais foram recebidos a tiros por três bandidos.

Segundo os policiais, no local do confronto foram encontrados duas pistolas, dois carregadores de pistola, 16 balas e 11 cartuchos, além de uma armação de fuzil AK 47 e um punho de fuzil calibre 762. Policiais da UPP Vila Cruzeiro fizeram um cerco no local conhecido como Beco do Coqueiro, por ser um ponto de fuga do Beco da Rua 23. Lá, encontraram-se com bandidos armados, que atiraram contra os agentes. Os PMs revidaram, e os criminosos fugiram, deixando cair uma sacola com carregadores de fuzil, munição e um radiotransmissor.

Você pode gostar