Por thiago.antunes
Publicado 05/11/2014 00:54 | Atualizado 05/11/2014 00:55

Rio - Motoristas e usuários do transporte público que já se acostumaram às mudanças recentes do trânsito no Centro terão de enfrentar uma nova etapa de alterações a partir do dia 15. A maior delas, no entanto, virá só no dia 29, com o fechamento de três pistas da Rio Branco, entre a Presidente Vargas e a Cinelândia.

Com isso, apenas as duas faixas da direita da avenida estarão abertas e terão sentido Aterro do Flamengo, continuando exclusivas para ônibus municipais. Os coletivos que hoje trafegam em direção à Presidente Vargas serão desviados para Avenida Presidente Antônio Carlos e Rua Primeiro de Março, que voltarão a ter as faixas exclusivas do BRS.

O objetivo desta nova fase de mudanças é dar continuidade às obras do VLT (Veículo Leve sob Trilho), previsto para entrar em operação a partir do primeiro semestre de 2016, antes dos Jogos Olímpicos. Todas as obras na avenida estão previstas para serem finalizadas em 12 meses. No começo da interdição, os táxis não poderão circular pela avenida, mas a decisão não é definitiva, segundo cogitou o prefeito Eduardo Paes.

Clique na imagem para ampliar o infográficoArte%3A O Dia

As interdições para as obras do VLT na Rio Branco começaram no último dia 10 de outubro, quando foram fechadas três faixas de rolamento entre a Visconde de Inhaúma e a Praça Mauá. No dia 15, serão interditadas as três faixas no trecho entre a Presidente Vargas e a Visconde de Inhaúma.

Nas proximidades dos cruzamentos da Rio Branco, como os com as avenidas Presidente Vargas, Almirante Barroso e Rua Evaristo da Veiga, será disponibilizada mais uma faixa de rolamento com o propósito de garantir a circulação dos ônibus para entrar na via.

Durante coletiva à imprensa ontem, o prefeito reconheceu o momento difícil para o trânsito no Centro, especialmente por causa das obras do VLT, assim como as da Zona Portuária, e pediu que as pessoas usem o transporte público. “São mudanças estruturais de um Centro abandonado. Mudamos a lógica que afeta a mobilidade das pessoas. Tudo isso exige um conjunto de restrições e paciência. Por isso, estamos incentivando o uso do transporte público”, afirmou Paes.

De acordo com a prefeitura, o processo inicial das obras do VLT inclui a remoção do asfalto e a escavação no eixo de passagem dos trilhos. Depois destas etapas, o trecho receberá intervenções para a colocação de redes de água, drenagem, energia, gás natural e telecomunicações. Na sequência, serão colocados os tubos para passagem de energia (eletrodutos) e de dados que alimentarão o sistema. Por fim, a instalação dos pontos e os acabamentos do VLT.

Terminal da Misericórdia, na Praça 15, será fechado

Outra mudança importante anunciada ontem é o fechamento do Terminal da Misericórdia, ao lado da Praça 15, no dia 23. As linhas de ônibus que atualmente fazem ponto final lá passam a ter três locais de parada: na Avenida Churchill, na Rua Santa Luzia e na Praça Marechal Âncora.

Segundo a prefeitura, o espaço atualmente ocupado pelo terminal dará lugar a uma grande praça, de 21 mil metros quadrados, com jardins e projeto arquitetônico que valoriza a vista e o contato com a Baía de Guanabara. A nova praça fará parte de um passeio público, de 3,5 quilômetros de extensão e 215 mil metros quadrados de área, que se estenderá até o Armazém 8 do Cais do Porto. O calçadão será um caminho arborizado, com ciclovia, área de convivência e por onde passará o VLT.

O plano de reordenamento de 89 linhas de ônibus do Centro, anunciado para este sábado, foi também adiado para o dia 15 de novembro. A justificativa é que haverá o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste fim de semana.

Serão afetadas 62 linhas intermunicipais e 27 municipais. O planejamento transfere a maioria dos pontos finais do Passeio Público, das avenidas Augusto Severo (Glória) e Chile para a Av. Presidente Vargas. O objetivo da prefeitura é evitar que os ônibus cruzem várias ruas da região central, desafogando os corredores BRS.

Obras do VLT irão até o final de 2015

A primeira composição do VLT chegará da França ao Rio em junho de 2015, segundo o cronograma da prefeitura. A previsão é que as obras sejam finalizadas no segundo semestre do ano que vem e que o sistema entre em operação nos primeiros seis meses de 2016. O VLT terá seis linhas e 42 estações e permitirá a conexão com a Rodoviária Novo Rio, trens da Central do Brasil, metrô, barcas e o Aeroporto Santos Dumont, além do BRT Transbrasil, que será construído até 2016.

Linhas de ônibus convencionais e o Teleférico do Morro da Providência também se integrarão ao VLT. Cada carro do trafegará com velocidade média de 17 km/h, com capacidade para até 420 passageiros. A expectativa é de 285 mil passageiros por dia.

Colaborou Gustavo Ribeiro

Você pode gostar