Por felipe.martins

Rio -  Quem pensa em viajar para o exterior nas próximas férias escolares e ainda não tem passaporte é melhor se apressar. No site da Polícia Federal, só há datas disponíveis para agendamento da entrega de documentos para daqui a dois meses. Segundo a PF, houve um aumento da demanda na emissão no estado nos últimos meses.

Thaís desistiu da viagem a Cuba no início de 2015 por causa da demoraFernando Souza / Agência O Dia

Para atender a este público crescente, a corporação estuda criar outros postos na capital — além dos que já funcionam no Via Parque, Rio Sul, Shopping Leblon e Aeroporto Internacional. A média atual de atendimentos chega a 900 por dia útil.

O DIA tentou agendar, no fim da tarde de ontem, a entrega de documentos para requerer o passaporte e o prazo mais curto era para o posto do Galeão, no dia 8 de janeiro. Os outros locais da cidade não possuíam nenhum horário disponível, de acordo com o site www.dpf.gov.br.

O longo prazo para o agendamento fez a assistente social, Thaís Cassiano, de 25 anos, desistir da viagem para Cuba no início de 2015. “Em uma primeira pesquisa, encontrei datas apenas para fevereiro em todos os postos do Rio. Meu namorado pesquisou e viu que abrem vagas em dias aleatórios, mas a gente desistiu por causa dessa demora e da dificuldade para planejar. A gente estava olhando as promoções, mas é difícil fazer planos quando precisamos contar com algum tipo de encaixe”, contou ela.

A PF informou que, desde 13 de outubro, houve um aumento do número de vagas disponibilizadas para o agendamento de emissão de passaportes nos dias úteis. Para isto, o posto do Aeroporto Internacional funciona em horário especial, das 7h à meia-noite, de segunda a sexta-feira. O incremento no atendimento vai durar dois meses, quando a demanda será reavaliada, e órgão decidirá sobre a extensão da medida.

Para fazer o pedido do passaporte, o viajante deve sempre agendar antes pelo site. Apenas no Galeão há atendimentos sem que seja feito agendamento prévio, mas somente para casos de emergência, como doença, trabalho, estudo, missão humanitária, grave transtorno. Cada pedido é analisado individualmente. A PF ressalta que perder o prazo da validade do visto americano ou questões específicas dos países de destino não se enquadram nos casos de emergência. Para tirar dúvidas, há o site ou o telefone 194.


Você pode gostar