Por thiago.antunes

Rio - Cerca de 500 famílias com mais de 1.500 pessoas completaram ontem quatro dias de ocupação em uma área de 60 mil metros quadrados em São Gonçalo. De acordo com Guilherme Guimarães, um dos coordenadores do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), o grupo não pensa em deixar o local. Em nota, a Prefeitura de São Gonçalo afirmou que a área não é pública e já solicitou um ofício para que o dono do terreno se apresente. A nota explica que está sendo negociada a solução do problema.

“Não vamos arredar o pé daqui, pois queremos um programa de habitação popular. Moradores de bairros de São Gonçalo, como Jardim Catarina e Santa Luzia, começaram a chegar hoje”, lembrou Guilherme.

Ainda segundo ele, as famílias estão se virando como podem para acampar no local, que no último domingo teve barracas queimadas. Líderes do movimento acreditam que o incêndio foi criminoso. “Uma vizinha disponibilizou o poço artesiano para termos um pouco d’água e os banheiros são improvisados”, conta. Segundo a nota, o déficit habitacional na cidade é de 20 mil pessoas num universo de 1,2 milhão de pessoas.

Você pode gostar