Por marcello.victor

Rio - O Portal dos Procurados lança nesta quarta-feira, um novo cartaz aumentado a recompensa de R$ 1 mil para R$ 20 mil por informações que levem a prisão de Leonardo da Costa, o Léo 22. Ligado à facção Terceiro Comando Puro (TCP), ele fazia parte do tráfico de drogas que age no Complexo da Maré, mas atualmente, estaria agindo do Morro da Serrinha, em Madureira, na Zona Norte, que é comandado pelo traficante Wallace de Brito Trindade, o Lacosta. Léo 22, também conhecido pelo apelido de Louco, estaria à frente no comando de traficantes, nos recentes ataques ao Morro da Mangueira.

Desde a execução de Francisco Paulo Testas Monteiro, o Tuchinha, no Complexo da Mangueira, facções criminosas rivais vêm disputando o controle da venda de drogas na comunidade e aterrorizando moradores. Vários pontos do morro foram pichados com inscrições do TCP, facção rival à que dominava a favela.

O Disque-Denúncia oferece R%24 20 mil por informações pelo traficante Leonardo da Costa%2C conhecido como Léo 22Divulgação / Disque Denúncia

No més passado, o Portal dos Procurados também havia aumentado para R$ 20 mil a recompensa oferecida por informações que levem a prisão do traficante, Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy, de 32 anos, chefe do tráfico de drogas do Complexo da Pedreira, em Costa Barros, na Zona Norte. Um dos criminosos mais procurados do Rio, ele é remanescente da quadrilha de Pedro Machado Lomba Neto, o Pedro Dom, jovem de classe média, morto em 2005, que se especializou em roubar residências. Playboy vem tentando invadir territórios de rivais do Comando Vermelho (CV) para ampliar seus domínios.

A escolha de Léo 22 para comandar o grupo que disputaria pontos de drogas na Mangueira não seria por mero acaso. Atual gerente da venda de entorpecentes na Serrinha, ele é cria da Mangueira e ex-integrante da facção Comando Vermelho. Ele é tido como sanguinário por aliados e por moradores das comunidades - por isso os apelidos 22 ou Louco. Além disso, quando ainda como integrante do CV na Mangueira, ele teria se aliado ao traficante Gão, porque o antigo chefe, Dudu, teria sido morto após um possível sequestro, e como ele não quis perder sua condição na hierarquia, passou a ser braço-direito de Gão, que assumiu os pontos de drogas em certa ocasião na Mangueira.

Antes de trocar de facção, ele chegou a gerenciar pontos de drogas no Morro Faz Quem Quer, em Rocha Miranda, que é liderado pelo traficante Anderson Sant'Anna da Silva, o Gão, que tinha saído da Mangueira, após negociar os pontos de drogas na região, com os milicianos que eram os donos do morro. Após uma briga com o chefe, porque ele estaria trazendo a policia para local, por causa dos assaltos que ele praticava na localidade, Léo teria pedido apoio ao traficante Marcelo Santos das Dores, o Menor P, que atualmente se encontra preso, para trocar de facção.

Antes de sair do Faz Quem Quer, ele teria dado um “banho” na facção e levou consigo armas e drogas, para seu novo reduto, e por causa disso, estaria jurado de morte por seus antigos aliados. Tanto que traficantes do Faz Quem Quer, assassinaram uma moradora do morro, pelo simples fato de que ela teria sido namorada de Léo.

Como ele queria retornar a Mangueira, já como traficante do TCP, sem executar nenhum morador inocente, para justamente ganhar a simpatia deles, Léo 22 teria ordenando a morte de cinco pessoas, que eram ligadas a sua própria facção. Motivo: na noite do dia 28 de outubro, o adolescente Caio Martins Ferreira, de 17 anos, foi morto durante um ataque de criminosos à comunidade. Esse grupo teria ido para um campo de futebol dentro da comunidade, e disparado tiros a esmo.

Caio estava em um campo de futebol no interior da comunidade, por volta das 20h, quando os traficantes armados saíram de uma mata perto da Quinta da Boa Vista. Além de Caio, outras três pessoas ficaram feridas no ataque, inclusive uma criança de 5 anos.

Essa atitude foi reprovada pelo traficante Léo 22, que teria ordenado que traficantes da Serrinha executassem os cincos traficantes. A via onde os corpos foram encontrados fica próxima ao Morro da Mangueira, onde, há pelo menos dois meses, criminosos disputam o controle da venda de drogas. Em julho de 2014, ele também teria comandado a invasão a Favela Santa Lúcia, localizada no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, que é controlada pelo Comando Vermelho.

Em desfavor do acusado constam seis mandados de prisão, expedidos pelas 3ª Vara Criminal da Capital, 2ª Vara Criminal de São Pedro da Aldeia e 37ª Vara Criminal da Capital, pelos crimes de tráfico de drogas e homicídio. Todas as informações sobre Léo 22, estão sendo encaminhadas para Divisão de Homicídios da Capital, que está encarregada do caso.

Quem tiver alguma informação a respeito da localização e paradeiro do criminoso, e de seus aliados, denuncie, enviando uma mensagem de texto, vídeo ou fotos para o aplicativo de mensagens do WhatsApp do Portal dos Procurados (21) 96802-1650, ou entre em contato com a Central Disque-Denúncia pelo (21) 2253-1177 ou 0300-253-1177, para quem estiver fora da capital.

Você pode gostar